Mercado de máquinas agrícolas deve melhorar em 2018

Mercado de máquinas agrícolas deve melhorar em 2018

PARTILHAR
piccin-implementos-agricolas-1
Foto: Divulgação

A redução dos juros praticados no Plano Safra, em média de 7,5%, e a perspectiva de uma colheita positiva no próximo ciclo devem impulsionar as vendas de produtos voltados ao campo em 2018

O mercado interno de máquinas agrícolas deve apresentar recuperação mais consistente neste ano, após um 2017 morno. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) projeta para 2018 um crescimento das vendas de 3,7%.

A entidade estima que o volume comercializado de máquinas agrícolas e rodoviárias alcance 46 mil unidades neste ano.

“A queda da taxa de juros do Plano Safra 2017/2018 e o aumento da área cultivada de soja devem fazer com que este seja o ano da retomada”, avalia a gerente de marketing da empresa Piccin Tecnologia Agrícola, Karen Morales.

Segundo a Anfavea, as exportações de máquinas agrícolas devem crescer 9,8% em 2018, para 15,5 mil unidades, enquanto a receita com os embarques deve somar US$ 16,7 bilhões, alta de 5,4% em relação a 2017. Já a produção deve crescer 11%, para 61,5 mil unidades.

Conforme a vice-presidente da Anfavea, Ana Helena Correa de Andrade, as vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias aumentaram 1,5% em 2017, totalizando 44,4 mil unidades. Ela reconhece que o resultado ficou abaixo do projetado inicialmente pela associação, que era vendas de 46,7 mil unidades. “É importante desmembrar esse resultado, já que as colhedoras de cana e as retroescavadeiras tiveram desempenho negativo, puxando o número para baixo”, destacou.

O resultado que teve mais peso foi o das colhedoras de cana, que registraram queda de 20,8% nas vendas em 2017. Entre os produtos que tiveram alta estão os tratores de rodas, que cresceram 2,8% em 2017 sobre o ano anterior.

piccin-implementos-agricolas-2
Foto: Divulgação

As exportações de máquinas cresceram 46,9% em 2017 em relação ao ano anterior, para 14 mil unidades. Em receita, isso representou US$ 15,8 bilhões, alta de 48,6% ante ao ano anterior. “Nós tinhamos perdido muito mercado da América Latina e estamos recuperando essa participação”, justifica Ana.

Segundo ela, o mercado norte-americano e o argentino estão entre os principais compradores dos produtos brasileiros. “Isso reitera a qualidade e a produtividade das nossas máquinas.”

A produção de máquinas agrícolas somou 54,9 mil unidades em 2017, alta de 1,8% sobre o ano anterior. “A estratégia das empresas foi produzir menos para ajustar os estoques. Algumas encerraram as atividades em meados de dezembro e outras devem retornar só em 15 de janeiro.”

Implementos

O ano também deve ser promissor para as empresas de implementos. A Piccin, que atua no segmento de máquinas para preparo de solo, deve crescer 20% em 2018 em relação ao ano passado, quando também registrou incremento das vendas de 12%.

Conforme Karen, o crescimento deve ser puxado pela venda de produtos voltados para a agricultura de precisão, que hoje respondem por 2% a 5% do negócio. “Essa área tem atraído o interesse de muitos agricultores que buscam tecnologia para reduzir os custos, seja em produtos que podem ser agregados às máquinas ou opções que já possuem a tecnologia embarcada”, destacou.

A empresa tem investido na modernização de distribuidores de adubo, calcário e orgânicos, além de pulverizadores com foco nessa demanda por mais tecnologia. O resultado foi o incremento de 8% das vendas desse tipo de produto em 2017.

A Piccin espera expandir a participação das exportações, que hoje respondem por 5% do faturamento da empresa. “Esperamos crescimento a partir da parceria que temos com a Apex [Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos]”, avalia. Diante dessa demanda por tecnologia, a empresa optou por ampliar a sede, em São Carlos, no interior de São Paulo, com a construção de um novo barracão, que deve ser concluído no final deste ano.

Via Marcela Caetano, colaborou o repórter Ricardo Bomfim no DCI

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.