Mercado perde força e preços da carne bovina ficam estáveis no atacado

Mercado perde força e preços da carne bovina ficam estáveis no atacado

PARTILHAR
Foto: Confinamento Monte Alegre. (Reprodução: CompreRural)

No atacado, a valorização da carne bovina na semana do Carnaval, a única até agora em 2018, foi pontual. O consumo “perdeu a força” com a chegada da segunda quinzena do mês.

O que segurou o mercado de carne sem osso estável no acumulado dos últimos sete dias foram os cortes de dianteiro, cujos preços subiram 2,1% no período. A carne de traseiro teve queda de 0,5%. Isso é sintoma de população descapitalizada.

O preço da carcaça, por exemplo, produto mais sensível que os cortes desossados às variações do mercado, que capta mais rápido o comportamento do consumidor, já que possui tempo menor de prateleira, obrigando o varejista adequar com maior frequência seus estoques, já veio com forte desvalorização esta semana.

O boi casado de animais castrados teve seus preços reduzidos em 1,5% esta semana.

Ainda assim, os preços atuais estão maiores que os de 2017, no mesmo período do ano, acumulando, inclusive, valorização real no período. Cortes como alcatra e filé mignon tiveram reajustes nominais de quase sete pontos percentuais acima da inflação medida pelo IPCA. Em média, o mercado subiu 3,5% em doze meses.

A perspectiva de consumo melhor este ano segue inalterada e será este o fator que ditará os rumos do mercado do boi gordo.

Fonte: Scot Consultoria

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com