Milho segue valorizando no mercado interno

Milho segue valorizando no mercado interno

PARTILHAR
espiga de milho
Foto: Divulgação

Mercado de milho brasileiro segue em banho-maria após o “feriado” de carnaval, mas sustentado pelo dólar. Nos EUA, relatório do USDA traz tom baixista.

Sustentado pela valorização do dólar, que já busca os R$ 5,45, a cotação do milho registrou leve alta no mercado físico na quinta-feira. A referência para o cereal em Campinas/SP atingiu os R$ 84,00/sc. A semana do carnaval deixou o mercado morno, com isso, a liquidez de negócios é baixa, e tanto compradores quanto vendedores se mantêm ausentes. Na B3, o contrato com vencimento para março/21 perdeu um pouco de força, recuando 0,21%, ficando cotado à R$ 86,66/sc.

Em Chicago o cereal encerrou o dia com leve desvalorização no contrato futuro com vencimento para maio/21. Com um recuo de 0,32%, o preço do milho na CBOT voltou para os US$ 5,49/bu. Tal movimentação pode ser justificada devido ao aumento de área semeada com o cereal nos EUA reportado pelo USDA na quarta-feira. Ainda assim, as tendências apontam para um mercado de milho norte-americano firme, devido à forte demanda externa.

Boi gordo

A quinta-feira se encerrou com pouca liquidez no mercado físico. Devido ao elevado preço do boi gordo e a dificuldade no repasse dessa valorização para o varejo, muitos frigoríficos seguiram com suas operações paralisadas pós carnaval, e continuam pressionando negativamente as ofertas pelo animal (ainda sem sucesso). A carcaça casada bovina continuou cotada a R$ 18,00/kg. 

Na B3 o dia foi de leve desvalorização, e o contrato com vencimento para abril/21 encerrou a quinta-feira desacelerando 0,18%, ficando cotado a R$ 299,25/@. O mercado futuro segue alheio as movimentações da carne bovina no atacado, apostando ainda na firmeza de preços que seria sustentada pela falta de gado pronto em todo o país.

Soja

Mesmo com a alta do dólar, a chegada de soja no mercado físico brasileiro começou a desvalorizar a oleaginosa. O preço dessa em Paranaguá/PR voltou para os R$ 164,00/sc, valor que não era observado desde 05/01/2021. Tal pressão ainda não é observada no mercado de farelo de soja, e o preço deste já rompe a casa dos R$ 2.900/t em São Paulo.

Respondendo ao relatório do USDA que projetou uma área 8,3% maior na safra 2021/22, o preço da soja em Chicago recuou 0,60% na quinta-feira, atingindo o valor de US$ 13,77/bu no vencimento para maio/21. Ainda assim, o mercado norte-americano segue de olho no desempenho das vendas externas do país de soja e também a colheita no Brasil.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.