Ministra inaugura estrada que irá fortalecer agronegócio

Ministra inaugura estrada que irá fortalecer agronegócio

PARTILHAR
Estrada da Serrinha - Foto: Ascom/Prefeitura de Patos de Minas

Para a realização dessa obra, foram repassados, pela pasta, cerca de R$ 6 milhões por meio do programa de Pavimentação de Estradas Vicinais.

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, participou, hoje (09), em Patos de Minas (MG), da inauguração da pavimentação asfáltica da estrada PMS 020, conhecida como Estrada da Serrinha. Para a realização dessa obra, foram repassados, pela pasta, cerca de R$ 6 milhões por meio do programa de Pavimentação de Estradas Vicinais.

A via faz a ligação entre o perímetro urbano do município à BR 365 e ao Distrito Industrial III. Grande produtor de milho e com uma economia baseada no agronegócio, a nova estrada será importante para o município para ampliar o escoamento da produção da região, beneficiando aproximadamente 53 mil pessoas. Trará também maior segurança aos mais de 150 mil habitantes da cidade, pois vai retirar o trânsito de veículos pesados que hoje trafegam pela área central de Patos. Os recursos para obra foram destinados por emenda parlamentar apresentada pelo ex-deputado federal José Humberto Soares.

A ministra Tereza Cristina destacou a importância da obra para fomentar ainda mais a vocação para o agronegócio do município, conhecido também como um relevante polo na área de suinocultura. “O ministério tem várias ações para o campo de infraestrutura, de fomento, mas são poucas as estradas que são asfaltadas com o dinheiro do governo federal”. E acrescentou que “isso é um exemplo do que o ministério pode replicar não só para Minas Gerais, mas para todo o Brasil”, afirmou durante a cerimônia da qual participaram também o secretário executivo, Marcos Montes; a secretária de Agricultura de Minas Gerais, Ana Valentin; o prefeito José Eustáquio Alves; o deputado federal Zé Vitor (PL-MG), que organizou a visita; o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Leite (Abraleite), Geraldo de Carvalho Borges, entre outras autoridades e parlamentares.

O secretário executivo Marcos Montes destacou que, na próxima semana, a ministra abre sua agenda internacional deste ano, com viagem à Alemanha e à Índia, neste último país vai se unir à comitiva do presidente Jair Bolsonaro, retomando processo de abertura de mercados para os produtos agropecuários brasileiros. Segundo o secretário, Tereza Cristina irá apresentar o cenário evolutivo do agro nacional. “Às vezes, o Brasil é vendido lá fora equivocadamente. Ela (a ministra) carrega uma marca na defesa do produtor, mas que ela sabe vender muito bem isso lá fora trazendo os empresários”, disse. 

Soluções tecnológicas para o campo 

Antes desse evento, a ministra visitou na NOOA, uma unidade do grupo Auma Negócios, dedicada ao desenvolvimento de soluções para o campo, como produtos biológicos (bioativos) e para fertilização de solos e nutrição de plantas. “Essa tecnologia toda que acabei de visitar, de conhecer neste polo tecnológico instalado aqui merece esse asfalto. “O Brasil hoje”, destacou, “é uma potência agroambiental e nós precisamos estar incluídos e o asfalto, a modernização, a agricultura 4G que vocês já fazem aqui, tudo isso faz parte”.

A ministra lembrou que atualmente é o campo que move a economia brasileira, tendo o Ministério da Agricultura o papel de “mola mestra” por meio da execução de políticas públicas. Ela lembrou de um dos mais recentes projetos sobre a possibilidade de formação de consórcios de municípios para a sanidade. A medida atende uma antiga demanda dos municípios e ampliará o mercado para os produtores rurais de grande parte do país.

A partir de fevereiro deste ano, produtos de origem animal inspecionados por consórcios públicos municipais poderão ser comercializados nos territórios das cidades integrantes do consórcio. Os municípios se associam formalmente para determinado fim: inspeção de produtos, compra de remédios, entre outros. Atualmente, as mercadorias inspecionadas pelos serviços municipais podem ser comercializadas apenas nos locais onde são fabricadas, conforme o Decreto 5.741/2006, que trata do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), que foi alterado pelo novo Decreto 10.032, de outubro de 2019.

A ministra cumpriu ainda uma agenda de visitas a outras empresas instaladas na região e todas baseadas na cadeia do agronegócios como o Frigorífico Suinco, a maior cooperativa de suínos de Minas, formada por 36 produtores; ao grupo Farroupilha/Lallemand, voltado para soluções biológicas para a agricultura e à Cemil, a Cooperativa Central Mineira de Laticínios, que reúne cerca de sete mil produtores rurais. Ela se reuniu também com produtores do Alto Paranaíba, Triângulo Mineiro e Noroeste de Minas, no evento “Papo Produtivo”, que se dedica a debater questões da agropecuária da região.

As informações são do Mapa.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com