Não vai faltar milho no Brasil, garante a Conab

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Segundo os levantamentos o país deve produzir 85,7 milhões de toneladas de milho, volume 16,4% menor que em 2019/20, quando fechou em 102,5 milhões de toneladas!

O Brasil deve produzir 85,7 milhões de toneladas de milho, volume 16,4% menor que em 2019/20, quando fechou em 102,5 milhões de toneladas. A informação foi divulgada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quinta-feira, 9, no 12º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21, o último do ciclo.

A produção da safra nacional de grãos fecha o ciclo com um volume estimado de 252,311 milhões de toneladas, uma redução de 1,8% sobre a safra passada e 4,7 milhões de toneladas inferior à previsão do levantamento realizado em agosto deste ano. 

No caso do cereal, a primeira safra está com a colheita finalizada (queda de 3,7%, para 24,7 milhões de t ante 2019/20). A segunda safra, com 86,9% concluída até o fim de agosto, deve ser de 54,4 milhões de toneladas (queda de 20,8%).

Para a terceira safra, situada na região do Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia), além dos cultivos em Pernambuco e Roraima, as fases das lavouras variam desde a fase vegetativa até as operações de colheita. A previsão é de colheita de 1,53 milhão de toneladas, queda de 16,8%.

De acordo com o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sérgio de Zen, a quebra na safra de milho não deve impactar no abastecimento interno do cereal. “A produção brasileiro é suficiente para atender o mercado doméstico. O que a gente vai ter é uma queda no volume exportado”, diz.

Segundo Zen, a quebra na produção foi provocada por fatores climáticos, como a estiagem prolongada e geadas. “Vamos fechar os estoques com volumes próximos do ano passado”, conta. “A gente tem um impacto nos preços globais, mas temos sim capacidade para atender o mercado interno”, complementa.

O resultado foi divulgado nesta quinta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no 12º Levantamento da Safra de Grãos 2020/2021. Este é o último levantamento para esta safra.

A produção total é de 85,75 milhões de toneladas, volume 16,4% menor que em 2019/20, quando fechou em 102,5 milhões de toneladas. A primeira safra está com a colheita finalizada e a segunda safra com 86,9% concluída até o final de agosto. Para a terceira safra, situada na região do Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia), além dos cultivos em Pernambuco e Roraima, as fases das lavouras variam desde a fase vegetativa até as operações de colheita.

Soja

A produção de soja foi a que equilibrou mais os números totais da safra, com uma produção recorde estimada em 135,9 milhões de toneladas, aumento de 8,9% em relação à safra 2019/2020. O levantamento feito pela Companhia mostra que a colheita está praticamente finalizada, restando a produção de Roraima e Alagoas, que representam pouco mais de 0,1% do volume nacional.

Com informações da Conab e Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.