Novas brachiarias garantem maior produção de forragens no campo

PARTILHAR
A Brachiaria exclusiva da Barenbrug Cayana proporciona um elevado acúmulo de forragem e uma alta produção de massa seca total
Cultivar Cayana / Foto: Barenbrug do Brasil

Duas novas brachiarias, Sabiá e Cayana, foram produzidas exclusivamente para o Brasil são opções ideias para quem deseja maior produtividade das pastagens

Elevar a produtividade animal é um fator importante para o aumento dos índices de rentabilidade na pecuária de leite ou de corte. A baixa produtividade das plantas forrageiras é apontada como a responsável pela baixa competitividade e produtividade animal no agronegócio. As pastagens são a fonte de alimentação para bovinos. E para que os produtores atinjam índices excelentes de produtividade precisam intensificar a produção de forragem dessas pastagens.

Foi com esse objetivo que as cultivares Sabiá e Cayana, “nasceram” a partir do programa de pesquisa e desenvolvimento da Barenbrug, que conta com o maior banco privado de germoplasma de forrageiras tropicais do mundo.

O Cayana foi desenvolvido, com um pacote tecnológico Barenbrug, para oferecer ao pecuarista alto desempenho e rentabilidade na pecuária de corte e leite. Com foco nas necessidades da produção agropecuária tropical, o cultivar traz uma grande inovação que alia produtividade e sucesso no desempenho animal.

“Este cultivar vem evidenciando um teto de produção muito alto. No ensaio oficial de pastejo utilizando animais de recria observamos uma produção de 8@/ha/ano a mais, na média de dois anos, em relação a testemunha mais semeada no país (cv. Marandu). Nós acreditamos que este potencial elevado do cultivar vem de encontro com a demanda do mercado, uma pecuária que busca a cada dia ter mais profissionalização para ser lucrativa”, reforça Ulisses Figueiredo, Líder do Programa e Melhorista da Barenbrug do Brasil.

Descubra os benefícios do cultivar Cayana para elevar a sua produção
Foto: Barenbrug do Brasil

Como o Cayana pode ajudar a elevar a produção?

A produção animal a pasto depende do crescimento da planta forrageira, da colheita dessa forragem pelo animal e da conversão animal. Neste sentido, a eficiência do pastejo (utilização da forragem) é a principal responsável pelo desempenho animal do sistema de produção, que está diretamente ligado ao consumo de matéria seca, com maiores ganhos em pastagens com elevada disponibilidade de matéria seca e alta proporção de folhas.

No caso do cultivar Cayana, há produção de massa seca total, fazendo deste cultivar geneticamente superior, com maior aproveitamento dos nutrientes disponíveis, produzindo mais em relação a outros cultivares existentes no mercado.

O novo cultivar foi testado também em diversas regiões do país, com diferentes condições de clima e solo. Em todos os testes, ele apresentou excelente resposta à fertilidade, alta capacidade de perfilhamento, elevada qualidade de forragem e eficiente conversão animal.

As principais características do Cayana:

  • Excelente resposta à alta fertilidade.
  • Alta capacidade de perfilhamento.
  • Alta relação folha:colmo.
  • Elevada qualidade da forragem.
  • Permite eficiente conversão animal.
  • Na média de dois anos de avaliação, entregou 42,2% mais produtividade animal em comparação com a forrageira mais popular do mercado (Marandu).
gado-pastando-no-sabia
Foto: Barenbrug do Brasil

Sabiá: Alta Performance na Estação Seca

Segurança e rendimento em um único cultivar. O Cultivar Sabiá é sinônimo de inovação e segurança ao produtor. Um benefício fundamental do Sabiá é a maior produção na época seca do ano. O Sabiá teve 42% a mais de acúmulo de forragem e 62% mais lâmina foliar no período das secas em comparação ao Marandu. Os números do novo cultivar da Barenbrug e do Marandu foram obtidos em cinco locais, em diferentes regiões do país, em ensaios realizados nas safras 16/17 e 17/18.

Outro dado a ser destacado. Na média das avaliações oficiais no Brasil (VCU Corte e Pastejo), produziu 47% mais que Marandu na época seca do ano, tendo concentrado 34% da produção anual nesta estação. Em resumo, na comparação com Marandu, o cultivar Sabiá tem um desempenho muito melhor na estação seca, o que proporciona um desempenho superior na época mais desafiadora do ano, bem como uma melhor performance anual.

“O Sabiá apresenta alta produção de massa seca total, e uma ótima produção de massa seca de lâmina foliar, que resulta uma maior taxa de lotação e que consequentemente proporcionará maior produção animal por área. Como a produção animal é resultado do que o animal consume em massa seca de forragem, usar uma cultivar mais produtiva significa aumentar a produtividade animal na mesma área e intervalo de tempo, verticalizando a produção dentro da propriedade, que consequentemente trará maior margem líquida”, reforça Ulisses Figueiredo, Líder do Programa e Melhorista da Barenbrug do Brasil.

As principais características do Sábia:

  • Facilidade no manejo do pastejo.
  • Maior produção na estação seca.
  • Intenso perfilhamento.
  • Elevado acúmulo de forragem.
  • Ensaios oficiais e regionais atestaram, em média, 36% mais produtividade animal em comparação com a forrageira mais popular do mercado (Marandu).

Um dado importante é que as cultivares apresentam resistência às cigarrinhas das pastagens e outras doenças bem conhecidas, proporcionando maior produção e rentabilidade ao pecuarista.

“A Barenbrug enxerga o pecuarista como um empresário rural que precisa ter segurança e renda nas atividades do campo. Nosso objetivo é ajudá-lo a produzir com sustentabilidade, viabilidade econômica e proporcionar mais qualidade de vida”, finaliza o pesquisador.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.