Organominerais, o melhor dos fertilizantes mineral e orgânico

Organominerais, o melhor dos fertilizantes mineral e orgânico

PARTILHAR
O fertilizante organomineral contém nutrientes que são liberados mais lentamente no solo – Crédito Cristiano Soares

Os fertilizantes organominerais são adubos orgânicos enriquecidos com nutrientes minerais. Nesse sentido, a associação de fertilizantes orgânicos e minerais é vantajosa, pois a parte orgânica do adubo pode reter certos nutrientes do fertilizante mineral contra a lavagem pelas águas das chuvas, principalmente em solos arenosos, e a fixação pelas argilas em solos argilosos, reduzindo significativamente as perdas.

Em longo prazo, o produtor também reduz custos, uma vez que o adubo organomineral estimula a proliferação de microrganismos benéficos que irão atuar na solubilização dos fertilizantes minerais e aumentarão a taxa de mineralização, sobretudo de nitrogênio, fósforo e potássio do fertilizante orgânico, liberando mais nutrientes para as plantas.

Importância da matéria orgânica para a fertilidade do solo

A fertilidade dos solos sempre foi questão de alta relevância na agricultura, havendo grande busca por parte dos agricultores pela fertilidade natural, ou mesmo a garantia de uma boa fertilização do solo.

Dentro deste contexto surge a matéria orgânica como excelente opção para a manutenção, ou até mesmo o aumento da fertilidade do solo.Logo, a matéria orgânica no solo é fundamental para a sustentação da lavoura agrícola, pois ela atua como uma fonte de energia e de nutrientes para os organismos que participam de seu ciclo biológico, mantendo o solo em estado de constante dinamismo, exercendo um importante papel na fertilidade e na produtividade dos mesmos.

Fertilizantes organominerais estimulam a proliferação de microrganismos – Crédito Luize Hess

Dentre as propriedades da matéria orgânica dos solos que contribuem para a melhoria e manutenção da fertilidade do solo se destaca a presença de cargas elétricas, que pode ser considerada a mais importante, pois influencia diretamente na capacidade de troca de cátions do solo (CTC), notadamente baixa em solos arenosos e muito intemperizados.

Elas atuam na retenção e disponibilização de nutrientes, retenção e complexação de poluentes, retenção de umidade, estruturação do solo, manutenção de biodiversidade, entre outras. Além disso, a matéria orgânica contribui para a diminuição da fixação do fósforo no solo.

Ação da matéria orgânica nos organominerais

Os fertilizantes organominerais são adubos orgânicos enriquecidos com nutrientes minerais, resultantes da mistura física ou combinação dos mesmos, em que a matéria orgânica presente neles pode ser oriunda de várias fontes, como turfa, dejetos suínos, bagaço de cana-de-açúcar, esterco de aves, farinha de ossos, palha de café, entre outros, submetidos ao processo de decomposição.

Esses fertilizantes organominerais devem seguir a legislação brasileira para produção e comercialização, na qual os fertilizantes organominerais sólidos para aplicação devem apresentar, no mínimo, 50% de matéria orgânica.

Esse tipo de fertilizante contém nutrientes que são liberados mais lentamente do que os adubos exclusivamente minerais, em que os nutrientes de origem mineral são liberados para as raízes tão logo aplicados ao solo e os nutrientes da matéria orgânica, ao contrário, são liberados lentamente para os microrganismos do solo, os quais realizam sua mineralização, disponibilizando nutrientes para a planta durante todo o ciclo.

Sobretudo, há um melhor aproveitamento da adubação, pois se evitam perdas por lixiviação, além de reduzir a toxidez a defensivos agrícolas e outras substâncias aplicadas nas culturas.

Organomineral Classe A (Substitui 100% cama de frango)

Benefícios da matéria orgânica para a fertilidade do solo

A matéria orgânica presente nos fertilizantes organominerais é importante para melhorar a fertilidade do solo e suas propriedades físicas, pois eleva a capacidade de retenção de água; promove a redução da compactação e o aumento da porosidade total do solo; forma agregados capazes de reduzir a erosão e aumentar a capacidade de absorção do solo; e aumenta a capacidade de troca catiônica, pela ação de substâncias húmicas que são componentes da matéria orgânica, sendo que, com a aplicação do fertilizante organomineral elas aumentam no solo.

Com os organominerais há um melhor aproveitamento da adubação -Crédito Cristiano Soares de Oliveira

Essas substâncias ainda possuem propriedades que facilitam o aumento da disponibilidade de nutrientes como o potássio, cálcio e magnésio e micronutrientes, como o ferro, manganês, cobre e zinco, além de diminuir a toxidez de metais, como o alumínio para as plantas.

Esses fertilizantes ainda contribuem para a disponibilização do fósforo não lábil, ou seja, o fósforo fixado aos coloides do solo que não está disponível para a absorção da planta, devido à ativação e ao aumento da microbiota do solo.

Torna-se, por isso, uma excelente alternativa para culturas perenes como o cafeeiro, que geralmente recebe apenas uma adubação fosfatada ao ano, oriunda de fertilizantes altamente solúveis, como os fertilizantes minerais, sendo o fósforo destes produtos fixado rapidamente, enquanto a planta fica sem fornecimento dele o ano todo.

Autores:
Dalyse Toledo Castanheira
Doutoranda em Fitotecnia – UFLA e membro do Grupo de Estudos em Herbicidas Plantas Daninhas e Alelopatia – GHPD
Ademilson de Oliveira Alecrim
Mestrando em Fitotecnia – UFLA e membro do GHPD
Giovani BeluttiVoltolini
Graduando em Fitotecnia – UFLA e membro do GHPD

Conteúdo retirado da Revista Campo e Negócios

 

PARTILHAR