Pode faltar espaço no armazém após retenção na BR-163

Pode faltar espaço no armazém após retenção na BR-163

PARTILHAR
Caminhões chegaram a ser puxados por máquinas na BR-163 para chegarem aos portos do Pará (Foto: João Miranda/Arquivo pessoal)

Agricultores de MT temem falta de espaço em armazéns para guardar produção após retenção de caminhões na BR-163

Agricultores de Mato Grosso que ainda vão colher boa parte dos grãos – principalmente de soja – temem ficar sem espaço nos armazéns para guardar a produção devido ao transtorno no acesso aos portos do Pará, que gera lentidão no escoamento da safra.

Caminhões e carretas não conseguem vencer um trecho de 65 km, perto de Novo Progresso (PA), numa região conhecida como Serra do Sabão. A precariedade na infraestrutura da BR-163, problema agravado pela temporada de chuvas, faz com que uma viagem que normalmente durava cinco dias entre Sinop, a 503 km de Cuiabá, e o porto de Miritituba, em Itaitúba (PA), passasse a ser de oito dias.

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a explicação para o problema é que o contrato com a empresa que tocava as obras foi rompido e o trabalho do trecho entre Novo Progresso e Moraes de Almeida foi repassado para o Exército. A meta é lançar a primeira camada de asfalto em todo o segmento até o final de 2019 e, em 2020 fazer a compelmentação e o fechamento da obra.

Confira a notícia na íntegra no site do G1 MT

Fonte: G1

-- conteúdo relacionado --
Centro-Sul processa 45,2 milhões de toneladas de c... Os resultados são da 1ª quinzena de Agosto. Volume é apenas 0,34% maior que o total de 45,134 milhões de toneladas moído no mesmo período da safra pas...
Estado responde por metade da safra do milho em 3 ... MT responde por metade da safra do milho no Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Sistemas de produção, rentabilidade e gargalos da produção de milho foram ...

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com