Poder de compra de fertilizantes piorou

PARTILHAR
Conjunto John Deere no plantio
Foto: João Paulo Farias

A piora do poder de compra desses insumos no país foi reflexo da soma de baixa oferta em um quadro de alta demanda global, apontou a Mosaic.

O Índice de Poder de Compra de Fertilizantes, divulgado mensalmente pela Mosaic Fertilizantes, operação latinoamericana de uma das maiores companhias do segmento no mundo, chegou a 1,5 em outubro, depois de ficar em 1,26 no mês anterior em setembro. Quanto menor o índice, maior é o poder de compra do agricultor brasileiro, explica a empresa. 

A piora do poder de compra desses insumos no país foi reflexo da soma de baixa oferta em um quadro de alta demanda global. Os preços dos fertilizantes voltaram a subir no mês passado em decorrência, por exemplo, da valorização do gás natural, importante matéria-prima para os nitrogenados e fosfatados. 

Apesar da taxa de câmbio favorável às exportações e dos bons preços das commodities agrícolas, as cotações destas tiveram leve queda no mês passado por força do início da safra de verão, avalia a Mosaic, em nota. 

A companhia divulga mensalmente seu indicador sobre o poder de compra em fertilizantes. O índice leva em conta as lavouras de soja, milho, açúcar, etanol e algodão

Fonte: Valor Econômico.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com