Polícia acaba com ladrões de gado após furto de mil bois

PARTILHAR

A Polícia Civil com ladrões de gado que roubaram cerca de mil cabeças de gado e usavam armas de fogo para fazer o abate clandestino destes animais.

A Polícia Civil de Corumbá acabou, nesta quarta-feira (25), com uma quadrilha acusada de furtar mais de mil cabeças de gado na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul. Ação está ocorrendo na região de Corumbá. Apenas na manhã de ontem, já haviam sido presas quatro pessoas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Dois deles já tinham mandados de prisão expedidos pela Justiça para esta operação.

A Operação Marruá foi desencadeada no início desta quarta-feira (25) e envolve 26 policiais civis das delegacias de Corumbá e Ladário, além de policiais militares ambientais.

No cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão estão sendo utilizados seis viaturas e três embarcações. Uma parte da operação está ocorrendo na região conhecida como Formigueiro, às margens do rio Pacu, a cerca de uma hora e meia de distância – de barco, da cidade de Corumbá.

Até o fim da manhã haviam sido presas quatro pessoas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Segundo a polícia, isso corrobora com a utilização de armas para o abate clandestino do gado furtado.

Dos quatro presos em flagrante, dois já tinham mandados de prisão expedidos pela Justiça para esta operação. Além do furto do gado (abigeato) e porte de arma, os suspeitos também devem responder por ameaça e receptação.

A ação faz parte do projeto PC Presente e foi organizada pela Delegacia Geral de Polícia Civil (DGPC) junto com o Departamento de Polícia do Interior e a Delegacia Regional de Corumbá.

Os mandados de prisão de quatro membros da organização criminosa aconteceram no âmbito da Operação Marruá, que tem o objetivo de combater o abate ilegal de gado.

Equipes da Polícia Civil em cumprimento de mandado judicial nesta quarta-feira (25) — Foto: Divulgação/PC

De acordo com a polícia, das quatro pessoas presas, duas foram em flagrante por porte ilegal de arma. A corporação aponta que esse é um indício que o abate era realizado usando armamento como espingardas. 

Além das prisões, a polícia ainda apreendeu cinco armas de fogo, sendo dois revólveres e três espingardas, bem como 14 marcas de ferro que eram utilizadas para remarcar o gado furtado.

Polícia prende quatro pessoas acusadas de roubar mais de mil cabeças de gado no Pantanal – Divulgação

Em Ladário, um açougue que vendiam as carnes ilegais, passou por inspeção da Vigilância Sanitária e da perícia da Polícia Civil, que constataram que todas as carnes eram impróprias para o consumo e foram apreendidas. O local foi fechado. A quadrilha ainda é acusada de porte ilegal de arma de fogo, ameaça e receptação. As ações envolveram seis viaturas, três barcos, 26 policiais civis, além de três policiais militares ambientais.

A força-tarefa foi apoiada pela Polícia Civil de Ladário e pela Polícia Militar Ambiental. Foram seis viaturas, três barcos, 26 policiais civis, além de três policiais militares ambientais.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.