Porto de Santos: suspensão de embarques de carga viva é preventiva

Porto de Santos: suspensão de embarques de carga viva é preventiva

PARTILHAR
Foto Divulgação. Fonte: G1

O Porto de Santos afirmou nesta sexta-feira, 12, por meio de nota, que a suspensão das operações de embarque de carga viva decorre por medida preventiva.

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que administra o porto, adotou a medida por causa de processo que tramita no órgão regulador (Antaq) sobre as operações. “Até que se conclua o trâmite, as operações estão suspensas. Após a manifestação do órgão competente, a Codesp tomará as medidas cabíveis”, diz.

Mais cedo, o Broadcast Agro, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, divulgou que o Porto de Santos iria suspender as operações, de acordo com carta enviada ao deputado federal Ricardo Izar (PP-SP) pelo diretor de Operações Logísticas da Codesp, Carlos Henrique Poço.

No documento, o diretor diz a Izar que a missão da Codesp é o desenvolvimento econômico com responsabilidade socioambiental, “não caracterizando sob nenhuma hipótese” a intenção de desrespeitar a vida animal.

O parlamentar confirmou o recebimento da carta e disse que a manifestação foi uma resposta a um pedido feito por ele em dezembro. O deputado pediu a suspensão das operações com cargas vivas após o embarque de 21 mil cabeças de gado enviadas à Turquia, via Porto de Santos. Izar considera que a operação resulta em maus-tratos aos animais.

Fonte: Estadão Conteúdo

-- conteúdo relacionado --
Fazendeiros poderão recuperar matas amazônicas Segundo o Jornal da USP, pecuaristas poderão ser contratados para recuperação de matas ciliares na Amazônia, que são usados para agricultura e pecuári...
Preço do leite apresenta novo recuo. Cenário não d... Os produtores de leite estão atravessando um período pouco animador nos últimos meses, situação que não deve mudar muito no curto prazo. De acordo co...

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com