Praga no Paraguai ameaça chegar no Brasil

Praga no Paraguai ameaça chegar no Brasil

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Ataques de nuvens de gafanhotos na região norte do Paraguai coloca em risco o Brasil; praga está consumindo florestas e ameaçando plantações.

Nuvens de gafanhotos têm circulado na área do Chaco Central, consumindo a floresta e ameaçando plantações e pastagens. Entidades paraguaias ativaram o sistema de alerta para controlar esta praga na última sexta-feira na região de Las Palmas, Chaco, a cerca de 100 km de Loma Plata, doze técnicos divididos em três equipes, para o controle de lagostas.

A entidade explicou que em novembro do ano passado, uma nuvem de gafanhotos havia sido relatada na área do tenente Américo Pico, Chaco, a cerca de 30 km da fronteira com a Bolívia, que se supõe ter reproduzido os cinco enxames que circulam atualmente para a região indicada.

Foto: Divulgação

“Estamos realizando o controle combinado do ar e da terra e precisamos da cooperação dos produtores, com monitoramento e relatórios permanentes, para um trabalho mais eficiente”, afirmou Rojas.

Quanto ao nível de incidência, ele disse que os enxames são classificadas, de acordo com sua densidade e tamanho, leves ou pesadas, e que as cinco detectadas no país são do tipo “pesadas”, representando uma grande ameaça para as culturas. de soja, milho, sorgo e pastagens, existentes no Chaco Central e no Alto Paraguai.

Foto: Archivo, ABC Color

Ele mencionou que as atuais condições climáticas que reinam na região, com altas temperaturas e alta umidade, são ideais para a proliferação da praga acima mencionada, que pode percorrer até 100 km em um dia. Ano passado, a Senave havia declarado uma emergência fitossanitária por 60 dias no Alto Paraguai e Boquerón, por ataques de gafanhotos.

Caso o problema não seja controlado, há riscos de que a praga chegue no Brasil, alguns fazendeiros brasileiros que estão na região tem relatado que a situação é bastante complicada.

Foto: Divulgação

Problemas com as fortes chuvas

Além desse problema, outro que vem causando sérios danos a região são as fortes chuvas, autoridades decretaram estado crítico. O Chaco decretou estado de emergência depois que chuvas significativas se tornaram presentes na província. Diferentes localidades foram inundadas e, do Serviço Meteorológico Nacional, indicaram que continuam os alertas por novas precipitações.

O governador Jorge Capitanich tomou a decisão de decretar esse estado devido às áreas mais afetadas do sudoeste do Chaco. “O sudoeste está em uma situação complexa devido às fortes chuvas; estamos trazendo assistência abrangente às famílias afetadas com a intervenção de todas as agências estaduais ”, afirmou o presidente. Estudos apontam que as chuvas já passaram de 150 milímetros.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.