Preço de leite melhora, mas fraca demanda limita alta

Preço de leite melhora, mas fraca demanda limita alta

PARTILHAR
Vacada indo para a ordenha
Vacada indo para a ordenha, Fazenda do Salto, Unaí - MG. Foto: André Junqueira / Instagram / @andrejunqueira_anj

Cepea – O avanço da entressafra elevou, pelo segundo mês consecutivo, o preço do leite recebido por produtores (que é referente ao produto entregue em fevereiro).

A demanda enfraquecida, no entanto, limitou a alta no valor, que foi de apenas 1,4%, ou de 1,7 centavo/litro, considerando-se a “média Brasil” (GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA), que é calculada pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Em março, o preço médio líquido (sem frete e impostos) foi de R$ 1,2326/litro, 13,4% superior ao de março/16, em termos reais (valores foram deflacionados pelo IPCA fevereiro/17). O preço bruto médio do leite (considerando-se frete e impostos) foi de R$ 1,3405/litro, alta de 1,4% frente a fevereiro/17 e de 12,6% em relação a março/16, em termos reais.

Segundo pesquisadores do Cepea, a captação de leite continuou em baixa em todos os estados acompanhados. De janeiro para fevereiro, o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L/Cepea) diminuiu 3,1%, sendo o terceiro mês consecutivo de queda. Minas Gerais e Santa Catarina tiveram as baixas mais significativas no período, de 5,05% e de 3,98%, respectivamente. A menor produção no campo acirrou a competição entre indústrias e laticínios para compra de matéria-prima em algumas regiões, o que influenciou a alta dos preços ao produtor.

No geral, o desafio do setor se concentra no menor poder de compra de consumidores. De acordo com pesquisadores do Cepea, mesmo com o fim das férias escolares, a demanda não tem aumentado conforme as expectativas de agentes. Além disso, com a matéria-prima se valorizando no campo, o repasse desse aumento ao consumidor dificulta as vendas. Assim, os estoques de alguns derivados, como os queijos, têm aumentado.

No mercado atacadista do estado de São Paulo, agentes de mercado sinalizaram preocupações em relação ao aumento dos estoques de queijo muçarela, mas a ligeira melhora nas vendas deste derivado no final do mês elevou as expectativas de aumento de preços em abril. Os preços médios do leite UHT e do queijo muçarela negociados em março foram de R$ 2,59/litro e de R$ 15,16/kg, respectivamente, aumentos de 4,8% e 1,9% em relação a fevereiro. A pesquisa de derivados do Cepea é realizada diariamente com laticínios e atacadistas e tem o apoio financeiro da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Para abril, representantes de laticínios/cooperativas consultados pelo Cepea apontam novo aumento nos preços do leite recebidos pelo produtor; porém, as possibilidades de estabilidade no curto e médio prazos ganham força, devido à demanda enfraquecida. A maioria dos agentes entrevistados (63,2%), que representa 39,8% do leite amostrado, indica novas altas nos preços. Outros 34,2%, que representam 60,2% do volume amostrado, já acreditam em estabilidade. Apenas 2,6% dos colaboradores acreditam em possível queda nas cotações.

Fonte LEITE/CEPEA

PARTILHAR