Principal pilar da economia, agronegócio brasileiro só melhorou país

Principal pilar da economia, agronegócio brasileiro só melhorou país

Foto: spacecomexpo.com

Cada produtor rural tem uma importante missão, pois eles fazem parte de uma cadeia produtiva de alimentos que vão para a mesa do consumidor e é importante que todos tenham muito orgulho disso!

Orgulho de fazer parte de um setor, o agronegócio, responsável por segurar a economia brasileira, que gera riquezas para o país e alimentos de qualidade para a população.

Infelizmente, nem sempre o valor do agronegócio e da pecuária são reconhecidos. Grande parte por desconhecimento, frequentemente vemos na mídia e nas redes sociais acusações de que a pecuária é um setor que desmata, que é exploratória e é a grande vilã do efeito estufa. Por causa de muitas dessas inverdades é cada vez mais comum famosos anunciarem que se tornaram vegetarianos ou veganos.

Porém, é muito importante esclarecer alguns mitos e ressaltar o quanto a atividade é fundamental para a economia e para alimentar os 9,5 bilhões de pessoas que habitarão a Terra em 2050.

Muito se fala sobre o desmatamento provocado especialmente pela pecuária. No entanto, você sabia que 61% do território brasileiro ainda mantém sua vegetação nativa, ou seja, nunca foi desmatada? Isso se manterá desta forma, pois grande parte dessas áreas é de reservas. A maior parte dos outros países do mundo – inclusive que criticam o Brasil – já desmataram muito mais que isso. Apenas 27,7% do território nacional está sendo utilizado pela agropecuária.

A evolução do campo foi fantástica: entre 1990 e hoje, a área ocupada com pastagens caiu de 188 milhões para 167 milhões de hectares, ao mesmo tempo em que o rebanho aumentou de 147 milhões para 214 milhões de cabeças, o maior rebanho comercial do mundo. Em 2015, a produtividade chegou a 60 kg de carne/hectare, ao crescer 143% no período. Se os 10 milhões de toneladas de obtidas no ano de 2015 fossem produzidas com a tecnologia do início da década de 1990, a pecuária estaria usando não 167 milhões, mas sim 400 milhões de hectares, o que acarretaria em muito desmatamento.

A capacidade de alimentar a crescente população mundial não se dará pelo desmatamento, mas, sim, por incremento em produtividade através da inserção de tecnologia, o Agronegócio Brasileiro estará sempre nesse rumo e nada pode destruir uma reputação de tantos anos.

Texto adaptado da Trouw Nutrition