Produção de bezerras leiteiras, 70% do custo é com leite

Produção de bezerras leiteiras, 70% do custo é com leite

bezerros-bebendo-em-mamadeira
Foto: farmersjournal.ie

A criação de bezerros leiteiros é uma etapa em que os custos são elevados, com maior participação dos gastos relacionados ao fornecimento das dietas líquidas (leite ou sucedâneo).

Estas condições fazem com que os animais sejam muitas vezes criados de forma inadequada, com um fornecimento restrito da dieta líquida, gerando comprometimento do desempenho e desenvolvimento dos animais. Alguns levantamentos demonstram que durante a fase de aleitamento, 70% do custo total com alimentação e manejo estão relacionados ao fornecimento de leite para os animais.

O leite é o principal alimento e o que possibilita melhores resultados aos bezerros nos primeiros meses de vida, porém, existem alternativas que podem ser utilizadas para redução dos custos nessa fase de alimentação, sem prejudicar o desenvolvimento dos mesmos, como a utilização de sucedâneos de boa qualidade. Sucedâneos são produtos comerciais, nos quais os constituintes lácteos são substituídos parcialmente por outros de origem animal ou vegetal. É importante salientar que eles não possuem a função de substituição do colostro, alimento de suma importância para garantir o nível adequado de imunidade para os animais nas primeiras horas de vida.

Bezerra bebendo leite
Foto: Jen Muranetz

A utilização de sucedâneos no Brasil ainda possui grande oportunidade de mercado e já existem bons produtos no mercado nacional. Mas, ainda são encontrados trabalhos nacionais que relatam produtos que aumentaram as taxas de mortalidade e de diarreia dos animais, provavelmente relacionadas à presença de ingredientes contendo fatores antinutricionais. Porém, esses resultados devem ser avaliados com cautela, pois existem vários fatores que podem justificá-los, como a quantidade de produto fornecido e o tipo de manejo adotado. Sendo assim, na hora de escolher um sucedâneo, a composição e a constituição dos produtos devem ser avaliadas, bem como o tipo de manejo que será adotado, buscando sempre os melhores produtos disponibilizados no mercado.

Os sucedâneos do leite podem ser uma alternativa de substituto do leite, tendo em vista o seu alto poder de comercialização, podendo ser incorporado à dieta de bezerros, desde que o mesmo seja composto por fontes nutricionais de excelente qualidade.
No Brasil, a baixa utilização de sucedâneos pode ser explicada por vários fatores, sendo a formulação nutricional a barreira primordial.

Os primeiros produtos disponíveis no mercado eram de baixa qualidade, não apresentavam formulação adequada em termos de fonte proteica e energética. Sendo que alguns sucedâneos apresentavam fonte proteica de baixa qualidade, geralmente à base de soja, sem processamento para redução de fatores antinutricionais e aumento da digestibilidade, resultando em redução no desempenho e aumento das taxas de mortalidade. Outros problemas comumente encontrados, e que até hoje podem ser observados, é a utilização de ingredientes com baixa solubilidade em alguns sucedâneos nacionais, resultando em uma difícil diluição do produto.

bezerra-bebendo-leite-na-mamadeira
Foto: Divulgação

Segundo o NRC (2001) é recomendado que sucedâneos lácteos para bezerros contenham no mínimo 20% de proteína bruta (PB). É importante entender que as fontes proteicas utilizadas na formulação desses produtos são classificadas como lácteas e não-lácteas e os fatores críticos que afetam a utilização dessas fontes pelos bezerros incluem a digestibilidade, balanço de aminoácidos e a presença de fatores antinutricionais. Quando os produtos apresentam excesso de amido e fibra, baixa qualidade e inadequada incorporação das gorduras e fontes proteicas de baixo aproveitamento ou que possam provocar transtornos digestivos e problemas podem ser verificados nos animais, como aumento de diarreia e baixo desempenho.

O método de incorporação da gordura nos sucedâneos é o principal fator que afeta a digestibilidade dos lipídios e uma adequada dispersão da gordura é essencial para sua solubilização em água e consequentemente na sua digestão. Os sucedâneos lácteos geralmente contêm de 10 a 20% de gordura, ou seja, nível abaixo do encontrado no leite integral, que tem em média 28%. Os sucedâneos americanos são geralmente formulados com 20% de gordura, sendo que aqueles que não alcançam esses níveis não são mais comercializados.

Algumas opções para aumentar o nível de gordura no sucedâneo lácteo podem ser utilizadas, incluindo o sebo, uma gordura relativamente pouco aproveitada pelo animal, em razão da presença de ácidos graxos saturados, sendo estes de menor digestibilidade. A utilização da gordura vegetal em substituição à gordura animal na formulação de sucedâneos lácteos também pode ser uma fonte de gordura alternativa eficiente na composição de sucedâneos lácteos e resultados satisfatórios também foram obtidos com o uso exclusivo de óleos vegetais, como o da palma e do coco. Entretanto, os óleos vegetais apresentam custo maior que a gordura animal e devem ser evitados os óleos vegetais altamente insaturados como os presentes no óleo de soja, óleo de milho e óleo de girassol.

Mesmo que a utilização do leite seja uma excelente opção para fornecimento de nutrientes de alta qualidade para os bezerros, esse alimento possui maior custo que os sucedâneos e seus nutrientes podem variar em função do estágio de lactação, da nutrição, da flutuação de sólidos totais (ST) no uso do leite de descarte, entre outros fatores. Uma estratégia que pode contornar em parte esses problemas seria a adição de determinada quantidade de sucedâneo em pó, aumentando os ST da dieta líquida, sem aumentar o volume de leite oferecido aos bezerros.

Quando aumentamos os teores de sólidos da dieta líquida e mantemos o volume da mesma, os bezerros passam a consumir maior quantidade de nutrientes, semelhantes ao que estaria contido caso eles recebessem maior volume.

A utilização de bons sucedâneos lácteos em dieta de bezerros leiteiros pode ser uma alternativa para redução dos custos com esta fase de cria, sem contanto comprometer o desempenho dos animais. Durante a escolha de qual produto a ser utilizado, é muito importante levar em consideração a composição nutricional do mesmo, levando em consideração o aproveitamento dos nutrientes pelos animais, principalmente quanto a fração lipídica e proteica constituinte dos substitutos adotados. A opção de adensar o fornecimento de leite, incluindo bons sucedâneos a dieta líquida, pode ser uma alternativa interessante para favorecer o desempenho e o desenvolvimento dos bezerros.

Por Rafael Azevedo, zootecnista,
Mestre em Ciências Agrárias,
Doutor em Zootecnia e Gerente de Produtos da Alta