Produtor, fique atento aos golpes pela internet

Produtor, fique atento aos golpes pela internet

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Golpes em anúncios, clonagem de WhatsApp e muitas outras formas que os estelionatários encontram para agir de forma criminosa no país, fique atento.

Quem aí nunca ouviu falar que um amigo ou parente teve seu aplicativo de mensagens WhatsApp clonado, parece que está na moda de tantos casos que acompanhamos todos os dias. A clonagem de WhatsApp vem ocorrendo há anos: um estelionatário rouba seu número de celular através de uma fraude chamada “SIM swap”, e conversa com seus contatos para pedir dinheiro ou obter informações confidenciais. Por isso, o WhatsApp implementou um alerta nas mensagens SMS de verificação de conta. Para maior segurança, o aplicativo também recomenda ativar a verificação por duas etapas.

Para melhorar a segurança, ative o sistema de verificação por duas etapas

Passo 1. O código de verificação em duas etapas permite adicionar uma senha “extra” para ativar seu WhatsApp, que é solicitada no aplicativo ao reinstalá-lo ou esporadicamente, para garantir a privacidade. Para ativar, pressione o menu do topo do WhatsApp e selecione “Configurações”.

Passo 2. Em seguida, toque em “Conta” e selecione “Verificação em duas etapas”.

Passo 3. Pressione no botão de “Ativar”. Em seguida, será necessário adicionar um código pessoal com seis dígitos (criado por você) e depois digitá-lo novamente para confirmar. Toque em “Avançar” em cada etapa.

Passo 4. Se preferir, adicione também um e-mail pessoal para recuperação do acesso e, ao final, confirme em “Concluído”.

Golpistas estão tentando clonar WhatsApp de vendedores da OLX

Criminosos estão tentando clonar o WhatsApp de vendedores da OLX, se passando por atendentes do marketplace para obter códigos de verificação do mensageiro a partir de números públicos presentes nos anúncios. Uma vez com o número validado no próprio celular, o golpe tenta atingir os contatos da vítima, com pedidos de transferência de dinheiro para necessidades urgentes.

A dinâmica é direcionada, mas pouco arrojada. Ao telefone, o golpista se faz passar por um funcionário da OLX e começa a confirmar dados do anúncio feito pelo usuário, citando informações como preço, localização geográfica e outras condições do produto, o que ajuda a dar aparência de legitimidade ao contato. Enquanto conduz toda a conversa, ele tenta validar o número do WhatsApp da vítima em potencial em outro aparelho, o que envia um código de verificação para o celular da pessoa.

Outra modalidade é esta abaixo, mostrada no vídeo, confira:

Produtor rural tem prejuízo de R$ 30 mil após cair em golpe de venda pela internet

Aplicativos e sites de venda pela internet cada vez mais se tornam espaço para golpes. O produtor agrícola Edemar Joel, por exemplo, teve um prejuízo de R$ 30 nesta semana, em Palmas, após tentar comprar uma pá carregadeira. Depois de perceber que havia caído em um golpe, ele foi ameaçado pelo golpista.

A fraude começou após Joel encontrar a máquina em um anúncio. Ele entrou em contato com o vendedor e chegou a testar o equipamento pessoalmente. O negócio estava sendo intermediado por um homem que estaria no Mato grosso.

O produtor até fez um documento de transferência pessoalmente com o dono do equipamento. Depois, depositou o dinheiro na conta do vendedor. O restante do valor, outros R$ 35 mil seriam depositados depois da colheita da safra.

“Uma pessoa que está vendendo um produto recebe a comunicação dizendo que vai ser procurado por alguém, que é o comprador. Essa pessoa é vítima e pensa que está fazendo negócio com o vendedor, mas na verdade o intermediador é o criminoso. O comprador vai transferir o valor e quem recebe é o criminoso”, explicou o delegado.

Sem a máquina e sem o dinheiro, o produtor vai tentar buscar o ressarcimento na justiça. “Agora estamos com nossas atividades de pré-safra totalmente paradas, o que pode gerar um prejuízo para nós. Estamos sem dinheiro e sem a máquina”, lamentou o produto.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com