Projeto de Ecoturismo gera emprego e renda para assentamento em Goiás

Projeto de Ecoturismo gera emprego e renda para assentamento em Goiás

ecoturismo
Foto: Divulgação

Famílias assentadas no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Esusa, podem ser beneficiadas com a implantação de projeto de ecoturismo

O desenvolvimento turístico do assentamento será executado como contrapartida à proposta de destinação de parte da área do projeto para implantação de uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS), unidade que permite a exploração dos recursos naturais em regime de manejo sustentável, com conservação do meio ambiente e desenvolvimento de atividades econômicas de base ecológica.

Esta proposta foi discutida em reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Alto Paraíso de Goiás, dia 17 de agosto, com a participação de integrantes da sociedade civil e órgãos públicos, entre os quais o Incra. Representantes da autarquia reuniram-se, posteriormente, com o prefeito e secretários do município para discutir a viabilidade da iniciativa.

O PDS Esusa é uma modalidade especial de assentamento, criado para o desenvolvimento de atividades ambientalmente diferenciadas e de uso sustentável. A proposta de implantação da RDS em parte do projeto está condicionada à elaboração de estudo técnico sobre os benefícios e os impactos para as famílias assentadas e de plano de manejo da área com definição dasáreas de proteção integral e de uso sustentável. Após estas definições, a iniciativa deve ser submetida a consulta pública para aprovação.

Contrapartida

Como contrapartida, as famílias do PDS Esusa serão inseridas no Arranjo Produtivo Local do Turismo da Chapada dos Veadeiros com capacitações e investimentos em infraestrutura para assegurar o aproveitamento do assentamento, situado em uma região com forte desenvolvimento do turismo de aventura e ecoturismo, com exploração dos atrativos naturais como cachoeiras, cânions e flora do cerrado.

De acordo com a Coordenadora de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Incra, Ivana Sobral, a criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável pode fomentar o turismo ecológico de base comunitária, beneficiando as famílias assentadas e conservando os recursos naturais do PDS Esusa, que possui um dos atrativos mais visitados da Chapada dos Veadeiros, a Catarata dos Couros.

Para o superintendente regional do Incra no Distrito Federal e Entorno, Marco Aurélio Bezerra da Rocha, a alteração do projeto deve ter o consentimento das famílias assentadas, que devem ser beneficiadas com a exploração do potencial turístico do PDS Esusa, com investimentos em infraestrutura e capacitação.

O prefeito de Alto Paraíso de Goiás, Martinho Mendes da Silva, destacou que o município será parceiro na implantação da RDS, tendo em vista que a proposta concilia a conservação ambiental e o desenvolvimento das famílias assentadas, possibilitando a exploração turística.

Fonte: Incra

PARTILHAR

21 anos, Jales/SP.
Estudante de Jornalismo, fotógrafa e estagiaria em Assessoria de Imprensa.
Contato: jornalismo@comprerural.com