Prova em Campo Grande mediu desempenho da raça Brangus

Prova em Campo Grande mediu desempenho da raça Brangus

PARTILHAR
Prova mediu desempenho da raça Brangus
Foto: Divulgação

Embrapa Gado de Corte e ABB realizaram testes com 30 touros de sete criatórios em Campo Grande; destaques tiveram ganho médio de peso acima de 1,5 kg por dia

O touro tatuagem 24374, do criador Marcelo Aguiar Fasano, da Fazenda Poruína, de Serranópolis (GO), foi escolhido Elite Ouro entre os 30 animais da raça Brangus que participam das Provas de Avaliação de Desempenho Brangus (PAD 2021) na Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande (MS). O teste é feito em parceria com a Associação Brasileira de Brangus (ABB).

O reprodutor, que é filho do touro Tilita Atito 1256 TE, teve um ganho médio de peso de 2,530 quilos e teve um ganho médio de quase 900 gramas a mais do que os demais integrantes do lote. A média do lote ficou em 1,602 quilo.

Prova mediu desempenho da raça Brangus
Foto: Divulgação

O touro tatuagem Capa 191019, do criador Carlos Amorim, da Fazenda São Carlos, de Caconde (SP), foi escolhido o Elite Prata. O reprodutor, que é fiho de BWCC Conversion 54B, teve um ganho médio de peso de 1,719 quilo. Já o Elite Bronze foi o touro tatuagem N285, da Fazenda Anamélia, de Martinópolis (SP), que teve um ganho médio de peso de 1,702 quilo. O animal é filho do touro BWCC Big Town 192B16.

A prova – Participaram da prova 30 reprodutores de sete criatórios da raça Brangus, nascidos de 1º de agosto a 30 de outubro de 2019. Os animais permaneceram por cerca de 80 dias nas instalações da Embrapa Gado de Corte. A atividade teve a fase de adaptação a pasto com suplementação, que durou três semanas, seguida da adaptação em confinamento e, por fim, a prova, durante 56 dias.

Prova mediu desempenho da raça Brangus
Foto: Divulgação

Os animais foram avaliados, mostrando o desempenho de cada indivíduo, em 11 características, como eficiência alimentar, ultrassonografia por carcaça, peso final, perímetro escrotal, racial, qualidade de pelo e conformação frigorífica, entre outras. O objetivo da PAD Brangus 2021 foi coletar fenótipos, medidas de carcaça e, principalmente, medidas de eficiência alimentar, mas também, uma forma de avaliar machos promissores para serem touros. Hoje ocorreu um dia de campo para apresentação dos animais que contou com a presença de três centrais genéticas, a Alta Genetics, CRV e STRepro.

O coordenador de produtos e ações de raças taurinas e compostas do Programa Embrapa Geneplus, Maury Dorta, destacou a qualidade dos animais da raça Brangus que participaram das provas em Campo Grande. “A qualidade dos animais é excelente em termos de desempenho. São animais muito funcionais e com racial”, salientou Dorta. A Superintendente de Registros Genealógicos da ABB, Renata Pereira, ressaltou que a prova reuniu animais de sete criatórios de cinco Estados – Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo – e adiantou que, no segundo semestre, deverão ser realizados testes com touros mais novos.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com