Queda da arroba desestimula pecuaristas no Maranhão

Queda da arroba desestimula pecuaristas no Maranhão

PARTILHAR
Foto: Confinamento Monte Alegre. (Reprodução: CompreRural)

Nas últimas semanas, foram poucas as movimentações nos negócios envolvendo os bovinos de reposição no Maranhão.

Este cenário trava o mercado e não dá abertura para variações nos preços destas categorias.

O marasmo acontece porque por um lado os compradores não se interessam em realizar o giro do estoque da fazenda pela baixa atratividade do preço do boi gordo e pelo outro lado, os vendedores ainda têm o respaldo das pastagens e conseguem segurar os animais de reposição à espera de pagamentos melhores.

Desde o início do ano, a arroba do boi gordo caiu mais do que o preço dos animais de reposição, ou seja, queda no poder de compra do pecuarista.

De janeiro até o final de abril a arroba desvalorizou 5,3%, enquanto as referências para reposição ajustaram negativamente 0,7% seus preços, na média de todas categorias.

Essa conjuntura prejudicou a relação de troca. Para quem vende boi gordo (16,5@) e compra boi magro (12@), a troca hoje está em 1,34, em janeiro de 2018 estava 1,41. Portanto, piora de 5,1%.

A tendência é que esse cenário de inatividade na reposição ainda se arraste por algumas semanas, com a parada técnica para vacinação e a desova de final de safra pressionando as referências da arroba.

Fonte: Scot Consultória

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com