Queda de Chicago e desvalorização do dólar baixam preços da soja

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Após três sessões no positivo, mercado foi pressionado pela queda do petróleo e pelo fraco desempenho das exportações semanais americanas

O mercado brasileiro de soja apresentou preços mais baixos novamente nesta quinta-feira (24). A combinação de queda na Bolsa de Chicago (CBOT) com desvalorização do dólar voltou a pesar sobre as cotações no país. O produtor tentou novamente assimilar o comportamento da bolsa e câmbio, e o mercado terminou vazio de ofertas, com fraca movimentação.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos caiu de R$ 203,00 para R$ 201,50

– Região das Missões: a cotação recuou de R$ 202,00 para R$ 200,50

– Porto de Rio Grande: o preço caiu de R$ 206,00 para R$ 204,50

– Cascavel (PR): o preço baixou de R$ 197,00 para R$ 193,00 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca caiu de R$ 201,00 para R$ 197,00

– Rondonópolis (MT): a saca baixou de R$ 184,00 para R$ 183,00

– Dourados (MS): a cotação baixou de R$ 188,00 para R$ 185,00

– Rio Verde (GO): a saca baixou de R$ 180,00 para R$ 178,00

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais baixos. Após três sessões no positivo, o mercado foi pressionado pela queda do petróleo e pelo fraco desempenho das exportações semanais americanas.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2021/22, com início em 1 de setembro, ficaram em 412.200 toneladas na semana encerrada em 17 de março. Representa uma queda de 67% frente à semana anterior e uma retração de 70% sobre a média das últimas quatro semanas. A Argélia liderou as importações, com 84 mil toneladas.

Para a temporada 2022/23, ficaram negativas em 13 mil toneladas. Analistas esperavam exportações entre 500 mil e 1,8 milhão de toneladas, somando-se as duas temporadas.

Os agentes também aproveitaram os embarques abaixo do esperado e o recuo de 2% do petróleo para realizar lucros, após terem atingido ontem os maiores patamares em quase um mês.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com baixa de 18,00 centavos de dólar por bushel ou 1,04% a US$ 17,00 3/4 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 16,82 1/4 por bushel, com perda de 16,25 centavos ou 0,96%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com alta de US$ 0,80 ou 0,16% a US$ 485,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 74,29 centavos de dólar, com baixa de 1,68 centavo ou 2,21%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,20%, sendo negociado a R$ 4,8330 para venda e a R$ 4,8310 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,7650 e a máxima de R$ 4,8570.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com