Quelinha: Vaca Girolanda recordista mundial vence Megaleite

Quelinha: Vaca Girolanda recordista mundial vence Megaleite

PARTILHAR
quelinha-vaca-girolando
Foto: CRI Genética

A mais nova Grande Campeã Nacional Girolando é a meio sangue Quelinha Everett FIV 2B, com média de 100,140kg/leite.

O título, conquistado durante a Megaleite 2017, vem na sequência de um recorde mundial obtido na Superleite em 2015.

Quelinha, que também venceu a categoria Geral Vaca Adulta, é filha de Everett, um dos touros de destaque da bateria Leite da CRI Genética e pertence aos criadores José Afonso Bicalho, da Fazenda Cachoeira 2B, e Alexandre Lopes Lacerda, da Fazenda Miraí. De acordo com o gerente de produto leite, Bruno Scarpa, o reprodutor EVERETT deixou muitas filhas grandes produtoras de leite para a pecuária brasileira e frisou a consistência genética. “Quando um cliente alcança um recorde como esse, ocorre a confirmação da qualidade do trabalho que prestamos. Nós já temos um filho da Quelinha que está presente na Megaleite , logo segue para o teste de progênie e em breve será um dos nossos touros presentes para comercialização CRI”.

“A Quelinha foi a recordista mundial em Pompeu (MG) 2015 e a partir daí fizemos uma parceria muito forte com a CRI Genética. Este ano ela se tornou a primeira meio sangue a passar os 100kg/leite na Megaleite. É uma vaca muito importante para nós em termos de genética, ela é filha de vaca 2B, ela é 2B, filha do touro Everett da CRI Genética, cruzamento que nós fizemos em busca de muito leite e é uma doadora hoje que produz tourinho Girolando ¾”, explica Adriano Bicalho.

Bruno Scarpa acrescenta ainda que a Megaleite foi excelente e refletiu a força que a pecuária tem no Brasil. “Mais uma vez a CRI, auxiliando, orientando e apoiando o produtor no direcionamento genético dos rebanhos, atinge números e premiações fabulosas. O balde e as pistas comprovam que a genética CRI traz ao produtor de leite genética superior e traz o que precisa para que o melhor possa ser alcançado. A Megaleite foi um evento dinâmico e vibrante, em que a marca CRI ficou muito em evidência. O nosso estande esteve sempre cheio de pessoas de decisão, onde fechamos diversos negócios e iniciamos outros. A temida ‘crise’ não afetou as negociações, era notório que existia um Brasil dentro da feira e outro fora”, completa.

Outras conquistas

Na categoria Campeã Novilha, também na Megaleite, a premiada foi a vaca Girolando Germina Havana Jacey, de propriedade de Bernardo de Araújo Jorge, da Fazenda Germina, de Apucarana (PR). Ele explica que essa é a terceira vez que conquista o torneio de novilha durante a Megaleite. “Nós trabalhamos com a genética CRI há mais de 25 anos e comprovadamente com ótimos resultados. A Havana é uma novilha 5/8, filha do JACEY, tem um pouco mais de 60 dias de parição e alcançou a média de 61,063kg/leite. É a terceira geração CRI Genética, a mãe dela é filha do Radiador, um touro Gir da bateria CRI e a bisavó do Sharky, touro holandês”, explica Bernardo.