Recorde: Bezerro a R$ 358/@, agora atingiu o limite?

Recorde: Bezerro a R$ 358/@, agora atingiu o limite?

PARTILHAR
Foto: @agropecuaria_gf_machado

Isso estaria ocorrendo em virtude da diminuição de fêmeas em períodos anteriores, gerando restrição de oferta de reposição atualmente. E agora?

O mercado do boi gordo segue sustentado e com preços firmes nas principais praças produtoras do país. Na última semana, o valor da arroba subiu nas praças do interior, Mato Grosso do Sul e Minas, com esse cenário, o mercado de reposição ficou aquecido e trouxe uma nova onda altista nos preços. Confira os preços do bezerro e do boi magro para cada região!

Yago Travagini, analista de mercado da Consultoria Agrifatto, considera a restrição de oferta como a principal causa que explica as altas nos preços tanto da arroba do boi gordo quanto no mercado de reposição, seja boi magro, bezerro ou fêmeas. Segundo ele, está difícil encontrar animal no mercado e, consequentemente, os preços sobem em todas as categorias, seja nos animais mais novos ou nos mais velhos.

O analista explica que isso deve ao fato de que, em 2018, com o preço do bezerro muito barato, o produtor achou vantajoso vender vaca para fazer caixa, gerando diminuição da produção de bezerro agora. Dessa forma, há falta de animais de reposição para atender o mercado interno e externo, principalmente.

Um levantamento realizado, pela equipe da Agrobrazil, trouxe uma novidade em relação aos preços da reposição, mais precisamente do bezerro. Segundo os dados informados pelos pecuaristas, atualmente, o bezerro mais caro encontra-se no estado do Mato Grosso do Sul, no valor médio de R$ 2.150 por cabeça.

Entretanto, alguns negócios pontuais trazem valores acima dessa referência para os animais. Segundo uma negociação registrada no dia de hoje para os bezerros, os valores chegaram a R$ 358/@ para o bezerro de 170 kg. Pecuarista de Campo Grande/MS, negociou esse animal por 2.030,00 por cabeça, para animais da raça Nelore.

O número de negócios informados no app da Agrobrazil, teve um grande aumento na última semana, com uma maior procura por parte dos pecuaristas que trabalham com a recria/engorda nas praças de Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais.

Tabela 1. Média Agrobrazil Bezerro 2020

São Paulo lidera o ranking de maior preço para o Boi Magro

Segundo a tabela abaixo, é possível observar que os preços para a categoria do Boi Magro, segue alto em todos os estados. Em São Paulo, onde o valor é o maior, chegando a R$ 240/@ o animal teve uma valorização de R$ 35/@ de janeiro a julho desse ano.

Além de ter sumido do mercado, esses animais estão com um maior valor de ágio em relação ao boi gordo, quando comparado com os últimos anos. Esse novo cenário nos preços tem exigido, cada vez mais, que o pecuarista tenha um bom planejamento e que, a engorda desse animal, seja extremamente eficiente para poder aumentar essa margem de lucro na operação.

Tabela 2. Média Agrobrazil por Arroba – Boi Magro 2020

Tendência é de preço firme do boi gordo e da reposição

A expectativa da Scot é de firmeza do mercado nos próximos meses, sobretudo para o boi gordo, e mais calmo para a reposição. Hyberville Neto acredita que não há muito alternativa ao pecuarista a não ser incorporar os custos. As estratégias a serem seguidas vão no sentido de melhorar a eficiência para entregar mais arrobas ou terminar os animais mais cedo.

Travagini projeta que no segundo semestre a falta de oferta seguirá pressionando o mercado, mantendo preços firmes e com viés de alta. Este cenário inclusive pode se estender até 2021. Porém, a partir daí, é possível esperar a entrada de mais bezerros no mercado. Isto porque o cenário de abate de fêmeas já mudou no ano passado, portanto, o ciclo tende a voltar para uma maior oferta de bezerros.

Foto: Marca Peixe

Se o pecuarista está precisando de bezerro para recompor estoque, o analista recomenda que a melhor estratégia é tentar alguma negociação a preços mais baixos, mas que com a oferta cada vez menor isso será difícil. Por fim, alerta para cuidados com o estoque projetando o ano de 2022, que pode ter queda dos preços.

Agora é com você amigo produtor. Comprar ou vender o bezerro, segurar a fêmea ou enviar para descarte, o mundo de possibilidades e de negócios para o mercado do boi. Uma coisa é certa, o pecuarista parece ter encontrado um “ano de ouro”, no que diz respeito aos preços de venda, já nos insumos a situação se complica.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com