Risco de faltar milho no mercado interno se afasta

Risco de faltar milho no mercado interno se afasta

PARTILHAR
Em 2017, produção nacional de milho deve chegar a 90,8 milhões de toneladas
Foto: Pixabay – CC

Maior área de milho plantada na safra 2019/2020 compensará quebra da safrinha e equilibrará a demanda de rações para mercado interno

O risco de que pudesse faltar milho no mercado interno, especialmente para rações, está se afastando. A quebra da safra de inverno pode chegar a 10 milhões de tonelada, como se comenta, vai ser compensada pelo aumento de área plantada.

Também colabora a menor atividade do etanol extraído do cereal aqui no Brasil, atrelado à queda em geral dos combustíveis e, em particular, dos biocombustíveis, arrastados na crise do coronavírus.

Como as cadeias de carne bovina, suína e de aves projetam aumento da produção no segundo semestre – integrando expectativas de ambiente global e chinês sob menor impacto da pandemia, além do Brasil -, o consumo de rações tende a ser maior, demandando mais matéria-prima.

Em uma média de algumas consultorias, o milho safrinha vai sair com 75 milhões de toneladas – a Agronsult postou mais baixo, 72 milhões/t -, e o Paraná, segundo maior produtor, perdeu potencial de 5 milhões/t.

Mas a área plantada em alta, entre 3% e 5%, sobre o safrinha do ciclo 18/19, poderá compensar os prejuízos que a seca resultou na produção paranaense, mineira e paulista. Enquanto o consumo do cereal despencou, com o recuo de mais de 50% nas vendas de etanol.

Descontadas as exportações, que também não explodem apesar do dólar favorável,

No total Brasil, as estimativas são em torno de 13 milhões de hectares plantados, reflexo das intenções de plantio antes que a estiagem batesse às portas das regiões produtoras.

Adaptado de Money Times

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com