Rumo entrega terminal rodoferroviário na Ferrovia Norte-Sul

PARTILHAR
novo terminal rodoferroviário da Rumo
Crédito: Ricardo Botelho/MInfra

Leiloada em 2019, Ferrovia Norte-Sul dá novo fruto com terminal em Rio Verde (GO); até o fim de 2021, Brasil deve assegurar R$ 46,59 bilhões em investimentos privados no transporte ferroviário

Otransporte ferroviário colheu na última semana mais um fruto de uma semente plantada pelo Governo Federal, há dois anos, com o leilão bem-sucedido da ferrovia Norte-Sul (FNS). Em Rio Verde (GO), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou da inauguração de um novo terminal rodoferroviário da Rumo, concessionária que administra a FNS e deve investir R$ 2,8 bilhões durante a duração do contrato. Antes, ele discursou no Fórum Regional Centro-Oeste Export.

Desenhado para ser a espinha dorsal do sistema ferroviário nacional, o projeto da FNS possui 4.155 quilômetros de extensão. Destes, 1.537 quilômetros estão na Malha Central, entre Porto Nacional/TO e Estrela D’Oeste/SP, que é administrada pela Rumo. “Lá atrás, em 2019, nós tínhamos o grande desafio de contribuir e plantar as sementes para resolver nossa defasagem de infraestrutura e isso só era possível com uma parceria forte com a iniciativa privada” ressaltou o ministro.

Construído em uma área de 250 hectares doada pela prefeitura local, o terminal vai contribuir com o incremento da operação de grãos e farelo de soja. Um moderno sistema de automação será responsável pelos processos de recebimento e carregamento de alta capacidade e velocidade. Para o carregamento ferroviário, o terminal conta com uma tulha com capacidade para 3 mil toneladas/hora, o que permite carregar um trem de 120 vagões em menos de 8 horas.

Já no recebimento rodoviário, são oito tombadores, sendo seis para grãos e dois para farelo. O espaço também conta com acessos rodoviário e estruturas de armazéns, silos e moegas. Nesta fase, a unidade vai movimentar soja, milho e farelo de soja, com uma capacidade projetada de 11 milhões de toneladas por ano, para atendimento de todo o estado de Goiás e o leste do Mato Grosso. Com o início da operação, serão gerados novos 400 empregos diretos, além de proporcionar grande influência na economia regional.

INVESTIMENTOS – Uma das prioridades do Ministério da Infraestrutura é ampliar o uso de modais de transporte no Brasil além do rodoviário. Neste cenário, as ferrovias têm importante papel estratégico e ambiental, pois conseguem reduzir o valor do frete e, ao mesmo tempo, ter um impacto muito menor no meio ambiente que as rodovias.

De 2019 até o fim de 2021, o Governo Federal, através do Ministério da Infraestrutura, deve assegurar R$ 46,59 bilhões em investimentos privados no setor ferroviário. “De fato, os resultados estão saindo e estamos vendo esses investimentos se materializando todos os dias. Estou impressionado com a velocidade, quase R$ 400 milhões prontos em tão pouco tempo”, disse o ministro, em referência ao terminal de Rio Verde.

Todo o empreendimento gerou 600 empregos diretos e mais de 1 mil indiretos. Números estes que devem aumentar, já que a empresa vai investir R$ 2,8 bilhões durante os 30 anos de contrato de concessão.

LOGÍSTICA – Tarcísio de Freitas ainda destacou outras iniciativas do Governo Federal realizadas no estado de Goiás, como os leilões de aeroportos e da rodovia BR-153/080/414/GO/TO. Estão previstos ainda a ligação completa da ferrovia Norte-Sul com a chegada a Anápolis, e o lançamento da pedra fundamental para o início da construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, ligando Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT). “Estamos caminhando para que Goiás tenha uma infraestrutura de altíssimo nível”, afirmou.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.