Seca dobra preço da ração… no Canadá

Seca dobra preço da ração… no Canadá

PARTILHAR
Foto Divulgação.

A seca que quebrou as plantações no Canadá também está abalando o setor pecuário do país.

Para o sexto maior exportador de carne bovina do mundo, as condições de seca estão piorando na principal região produtora de gado do país, chamuscando pastagens e elevando os custos da alimentação. O preço do feno em algumas áreas já dobrou, e alguns fazendeiros podem ser forçados a vender animais antecipadamente para currais de engorda nas próximas semanas o clima persistir.

“Na melhor das hipóteses, conseguiríamos sobreviver se começasse a chover”, disse Charlie Christie, presidente da Alberta Beef Producers, que está pensando em tirar as vacas de sua fazenda perto de Olds, em Alberta, em setembro, um mês antes do habitual, por causa das condições ruins do pasto.

“A pior hipótese é a seca, e em toda a província simplesmente não temos alimento suficiente. O rebanho de vacas será liquidado.”

Partes de Alberta, maior província produtora de carne bovina do país, receberam menos de 60% das chuvas normais desde 1º de abril, segundo dados do governo. A deterioração das condições do pasto fez com que o preço do feno utilizado como alimento chegasse a 200 dólares canadenses (R$ 625) a tonelada, duas vezes mais que no ano anterior, de acordo com a Alberta Beef Producers. A cevada para ração deu um salto de 30 por cento nesse período, segundo Brian Perillat, analista sênior da Canfax, que tem sede em Calgary.

Estoque limitado

No sul de Alberta, 60% das pastagens estão em condições precárias ou razoáveis, de acordo com um relatório de 17 de agosto do Ministério da Agricultura da província. Devido à falta de disponibilidade de feno e pasto, alguns compradores estão recorrendo a safras de menor qualidade e danificadas por granizo. Além disso, o estoque de alimento dos produtores de gado é limitado, e “o feno e o pasto à venda estão escassos”, informou o Ministério em um relatório anterior. A seca também limitou a oferta de alimento em Saskatchewan, província vizinha.

“Tem gente procurando alimento em tudo quanto é lugar”, disse Rick Toney, presidente da Associação de Criadores de Gado de Saskatchewan. “Tem gente planejando vender porque não tem dinheiro para alimentar suas vacas neste inverno.”

No Canadá, o abate adicional é esperado em um momento em que o rebanho já crescia a uma taxa limitada. Os pecuaristas detinham 9,7 milhões de cabeças de gado em 1º de janeiro, menos de 1 por cento a mais que no ano anterior, de acordo com os últimos dados disponíveis do governo.

Na fazenda de Toney, em Gull Lake, em Saskatchewan, ele e o filho planejam abater 10 por cento a mais que o normal do rebanho para manter os custos de alimentação sob controle. “Teremos que ser um pouco mais duros com as vacas e precisaremos nos desfazer de mais algumas”, disse Toney. “Se você colocar dinheiro extra na alimentação, você não receberá o retorno desse dinheiro”, complementou.

Com informações da Gazeta do Povo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com