Semana fecha com preços da soja em queda, confira!

Semana fecha com preços da soja em queda, confira!

PARTILHAR
soja no tocantins
Foto: Divulgação

Com vendedores ausentes, os preços da soja no Brasil mostram uma tendência de queda; para a safra nova, os preços estão firmes. Confira!

O mercado brasileiro de soja teve um dia sem negócios e com preços praticamente inalterados, em patamares nominais no físico e com viés de queda. Para a safra nova, os preços estão firmes, mas a comercialização também travou.  O dia foi de ganhos em Chicago, que busca o patamar de US$ 12 o bushel, e de dólar perto da estabilidade.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos permaneceu em R$ 153. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 152. No porto de Rio Grande, o preço estabilizou em R$ 156.

Em Cascavel, no Paraná, a saca de soja permaneceu em R$ 162. No porto de Paranaguá (PR), a saca seguiu em R$ 155.

Em Rondonópolis (MT), o valor estabilizou em R$ 165. Em Dourados (MS), a cotação recuou de R$ 160 para R$ 158. Em Rio Verde (GO), a saca baixou de R$ 181 para R$ 178.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira, 27, com preços mais altos. Apesar do número decepcionante para as exportações semanais americanas, o mercado voltou a ser sustentando pelo quadro de aperto na oferta americana e pelas preocupações com o clima na América do Sul.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com alta de 9,25 centavos de dólar por libra-peso ou 0,78% a US$ 11,93 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 11,95 por bushel, com ganho de 9,25 centavos ou 0,78%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo avançou US$ 1,10 ou 0,27% a US$ 398,00 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 38,81 centavos de dólar, alta de 0,63 centavo ou 1,65%.

Os preços subiram mesmo com a demanda pelo grão americano aquém do esperado. As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2020/21, com início em 1º de setembro, ficaram em 768.100 toneladas na semana encerrada em 19 de novembro. Foi o menor nível do ano comercial e representa uma queda de 42% sobre a semana anterior e de 47% na média em quatro semanas.

A China liderou as compras, com 578.700 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 750 mil e 1,4 milhão de toneladas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 0,18%, sendo negociado a R$ 5,3270 para venda e a R$ 5,3250 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3220 e a máxima de R$ 5,3810. Na semana, o dólar acumulou queda de 1,13%.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com