Suinocultores do Sudoeste cautelosos para 2018

Suinocultores do Sudoeste cautelosos para 2018

PARTILHAR
suinos
Foto Divulgação.

Os suinocultores avaliam o ano de 2017 como de expansão para o setor.

Reni Girardi Lima analisou que o ano foi um recomeço, terminando com boa média de preços e expansão da atividade. O que alavancou esse crescimento foi o custo da produção, que diminuiu.

O Paraná já é o segundo maior produtor de carne suína do País, com quase 20% da produção nacional. A produção paranaense deve fechar 2017 com 750 mil toneladas de carne. Mais de 65% estão no Oeste do Estado, ficando o Sudoeste do Paraná com a segunda posição.

Mas quando se fala em perspectiva para 2018, as coisas mudam um pouco e surge a preocupação do produtor. “Estamos prevendo aumentos no custo da matéria-prima, principalmente o milho, nosso principal insumo, e isto trará dificuldades para o suinocultor”, afirmou Reni. Para ele, os resultados deste ano superaram a expectativa do setor. “Ano passado foi um ano da mais profunda crise dos últimos tempos no setor, e o fôlego deste ano nos preparou para o que poderá ser um ano delicado em 2018.” Outro fator que ajudou a suinocultura neste ano foi a estabilidade cambial para as exportações.

O milho aponta uma possibilidade de forte alta, ultrapassando os R$ 40 a saca, o que será uma dificuldade extrema para o suinocultor.

Fonte: Jornal de Beltrão

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com