Surfista abandona prancha e vira peão de rodeio

Surfista abandona prancha e vira peão de rodeio

José Leal peão Cutiano
Foto: Reprodução do Youtube

O ex-surfista que trocou o mar e a prancha pela arena e o arreio e estará na DIVINAEXPO. Entre os competidores que estarão presentes na 47ª DIVINAEXPO, em Divinópolis (MG) entre os dias 31 de maio e 04 de junho, estará José Leal da Silva Neto, 34 anos, de Itanhaém, litoral paulista.

José Leal participará das competições de montarias em cavalos estilo Cutiano. Onde será realizado na DIVINAEXPO uma etapa da Copa Panther Rozeta, o único campeonato da modalidade em atividade no Brasil.

José Leal peão cutiano
Foto: Divulgação

Filho de competidor, José Leal monta desde os quinze anos. Quando seu pai, Raimundo Magalhães, também competidor encerrou a carreira, em 1983, ano de nascimento de José Leal, mudaram para Itanhaém, para um haras, a cidade está longe dos grandes rodeios.

Embora longe dos grandes centros de festas de peão, José Leal, trazia no sangue a ligação com rodeios e montarias, frequentava, eventos com berrante na mão, sempre fascinado por tudo.

Claro que estar no litoral o levou para as ondas, para o mar, foi surfista. Forçado pela mãe a terminar os estudos, até os 18 anos estudava e surfava.

Foi quando foi fazer um teste em um Jockey Club em São Paulo. Passou em todos os testes mas, sua fisionomia, de quem poderia crescer muito, acabou eliminando ele no final, ele seria ser muito grande para ser um Jockey.

Foi ai que o caminho para a modalidade Cutiano seria mais do que certo. Aos dezenove anos, em Mongaguá, também no litoral paulista, aconteceu um rodeio com grandes nomes da modalidade, e foi ali que fez seu primeiro rodeio.

Com a influência do seu pai e de Jean Carlos Cardoso, ou competidor, conseguiram a inscrição para José Leal.

E tralha de montaria? Não tinha, mas, já que inscrição já havia sido feita, arrumar uma tralha emprestada não foi problema

– Eu nunca tinha montado em um cavalo de rodeio, terminei esse rodeio em quarto lugar, depois desse dia, sabia exatamente o que queria para minha vida – Explica Leal.

Foi hora de largar a prancha de lado e ir atrás do sonho de ser um competidor de renome no cutiano.

– Todo começo é difícil, e como não conseguia inscrições, fui trabalhar em uma cia de rodeio, Cia Zezito. Ele separou os dois animais, “Amambai” e “Sanfoneiro” e disse que quando eu montasse bem nestes dois animais ele me colocaria no rodeio – Explica

Depois de muito treinamento na peiteira nestes dois animais, chegou ao rodeio de Extrema (MG). Foi onde ganhou o primeiro carro.

– O fato curioso desse rodeio é que o campeão de touros, foi Guilherme Marchi, que também era o primeiro carro da carreira dele, Guilherme também gostava de surfar já que também morava no litoral – Lembra José Leal

Daí em diante ele foi para outra companhia e começou sua busca em um lugar entre os melhores, e ele conseguiu.

Ganhou dezessete motos, campeão de Paranapuã (SP), Taquaritinga (SP), Extrema (MG), Itanhaém (SP), Itapecerica (SP), duas vezes campeão em Jaboticabal (SP), cinco vezes campeão de Cotia (SP), sete vezes finalista em Barretos.

– Sou um cara realizado, montei nos melhores rodeios, venci boa parte deles, estou no meio dos melhores – Explica José Leal

E entre esses grandes rodeios está Divinópolis (MG), ele já montou no evento em 2011, onde foi vice-campeão, retornou ano passado quando e está confirmado par este ano

– É uma festa que merece nosso respeito, tem uma atenção especial com nós competidores, tem uma premiação boa, faz todas as modalidades, um público incrível, além de uma comissão organizadora que realmente faz a coisa acontecer, estou com uma grande expectativa para este evento. Aproveito para agradecer o Pablo Ribeiro “Bocão” por receber a Copa Panther – Finaliza

Mais sobre o evento divinaexpo.com.br
Por Eugênio José

 

PARTILHAR

Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.