Tecnoshow: 10 mandamentos da produtividade no campo

Tecnoshow: 10 mandamentos da produtividade no campo

Lavoura de Soja
Lavoura de Soja / Foto: TheBeanBlog

Os produtores rurais brasileiros estão comemorando safras recordes nos últimos anos, mesmo com os estresses climáticos vividos nas principais regiões de cultivo no Brasil.

Para o engenheiro agrônomo e doutor em Ciência e Tecnologia de Semente, Paulo Dejalma Zimmer, os resultados positivos são reflexo de uma revolução que vem acontecendo no campo, com agricultores mais atentos a detalhes diretamente ligados ao aumento da produtividade. “Essa mudança não decorre somente do ambiente, mas de outras práticas que estão sendo mais observadas e cuidadas, o que reflete em mais produção. Nós acordamos para desejar o máximo desempenho da atividade agrícola, tirando mais proveito da genética, do ambiente e do manejo”, ressaltou durante palestra no auditório 1 do Centro Tecnológico COMIGO (CTC), em Rio Verde (GO), na tarde desta quarta-feira, 05, parte da programação da TECNOSHOW COMIGO 2017.

Já no início da palestra, Zimmer desafiou os estudantes e agricultores presentes a observarem mais a lavoura, que segundo ele, tem uma capacidade produtiva muito maior do que se imagina. “O ambiente é um fator muito complicado, mas tem várias coisas que podemos fazer para uma lavoura dar certo além de olhar a previsão do tempo”, reforçou o professor, que diante das experiências acumuladas em plantações de todo o país, resolveu dividir os principais caminhos para aumentar a produtividade no campo em 10 mandamentos principais.

A importância das sementes

O primeiro deles, apontado por Zimmer como um dos primordiais para o sucesso da colheita, é o cuidado com as sementes. Utilizando-se de sua expertise profissional, reforçada durante a palestra com diversos estudos e cases de sucesso, nenhuma prática agrícola, como manejo, adubação ou irrigação, pode aumentar a produtividade além dos limites impostos pela semente. “É ela que carrega a capacidade fisiológica para enfrentar o ambiente e de desfrutar todos os insumos colocados nele. Nunca se conseguiu um resultado pior, nas mesmas condições de ambiente, usando sementes melhores”, explicou. Detalhes como vigor, plantabilidade, padrão físico e sanidade devem ser observados pelo produtor com cuidado na hora da escolha das sementes para o plantio. “Quanto melhores as condições para a semente cair no solo e emergir, mais as plantas estarão próximas do que a semente era em sua essência”, completou.

O professor apontou o uso de sementes tratadas com perfeição como o segundo mandamento para aumentar a produtividade. “Se você colocar uma semente sem nenhum dano mecânico em uma máquina ultrapassada, você estará criando não apenas problemas de dosagem, como também danificando a semente”, argumentou. Já o terceiro mandamento chama a atenção dos produtores para o cuidado com o leito da semeadura. “É preciso cuidar do solo que vai receber a semente, escolhida com tanto apuro”, disse.

Plantio

Outro passo importante para que a lavoura mantenha índices consideráveis de produtividade é regular a plantadeira, se atentando para a velocidade do processo e acompanhando tudo por meio de métricas. “O produtor precisa se planejar para se concentrar no plantio e acompanhar com mais carinho esse processo, para corrigir problemas e antecipar estratégias para o próximo ano”, assinalou o professor.

O quinto mandamento, ainda referente à etapa de plantio, aponta a importância da ocupação de todos os espaços com plantas vigorosas e sadias, ajustando a quantidade conforme a dose de sol, água, adubo e tratamento do terreno. De acordo com observações preliminares sobre a colheita de soja em 2016, pelo menos 12% das áreas plantadas renderam acima de 70 sacas por hectare e, segundo Zimmer, todas elas tinham como um dos pontos em comum a inexistência de falhas nas plantações. “Usem a lógica da pecuária na lavoura. O ideal para cada planta responder é um espaço para ela usar o solo com adubo, produtos de proteção e água, fazendo essa distribuição de forma uniforme”, exemplificou.

Para Zimmer, a proteção de todas as folhas, vagens e plantas também está diretamente relacionado à alta produtividade, seja de intempéries como de pragas. “Se a planta é a fábrica, a folha é o reator. Toda a folha perdida no tempo incorreto é uma fábrica jogada fora. Grande parte das plantas de soja que não produzem vagem porque muito cedo cai a folha”, afirmou. Seguindo nessa lógica, ele apontou como sétimo mandamento os perigos do coeficiente de compensação em todas as etapas de plantação, que deve ser evitada para não trazer prejuízos ao invés de lucros. “Quem disse que em ano de seca tem que ter mais planta?”, brincou com os participantes.

Previamente à colheita, Zimmer recomenda fazer um inventário, registrando erros e acertos, o oitavo mandamento da produtividade. “Vai para a lavoura, olhe, meça, tire foto e depois, se você não souber responder tudo que viu, chame todos os seus fornecedores para analisar os resultados e resolveu os problemas. Não dá para tomar decisões na agricultura sem números e informações apuradas”, recomendou.

Planejamento

Os dois últimos mandamentos estão diretamente relacionados ao planejamento antes e depois da colheita. O nono mandamento, segundo o professor, é estabelecer foco para fazer a diferença, corrigindo os erros para os próximos anos. Para finalizar, Zimmer apresentou o que ele considera um dos pontos primordiais para manter a produtividade em alta: estabelecer relações comerciais sadias, seguras e duradouras, comprometidas com os resultados do agricultor. “Isso faz o produtor ter sorte com fornecedores e ter equipes de trabalho mobilizadas”, completou.

FICHA TÉCNICA
16ª edição da TECNOSHOW COMIGO
Data: 3 a 7 de abril de 2017 (segunda a sexta-feira)
Local: Centro Tecnológico COMIGO (CTC) – Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)