Terceira Prova Top Brangus contará com 48 touros

PARTILHAR
Prova mediu desempenho da raça Brangus
Foto: Divulgação

Prova Top Brangus realizados pela Associação Brasileira de Brangus e a UFRGS avaliam a seleção por eficiência alimentar de machos Brangus no Sul

A Associação Brasileira de Brangus (ABB) confirmou nesta quinta-feira (1º/7) que 48 terneiros foram inscritos para a terceira edição da Prova Top Brangus Ufrgs. Eles se juntarão a outros cinco da própria Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), totalizando 48 animais. Os testes terão uma duração de 91 dias e serão realizados na Estação Experimental Agronômica da instituição de ensino, em Eldorado do Sul (RS).

A entrada dos animais está prevista para o dia 6 de julho. Participam da prova machos nascidos entre 1º de agosto e 30 de outubro de 2020. A atividade contará com 17 criatórios do Rio Grande do Sul. Quatro deles são de Uruguaiana – La Reina, Basca, BT Junco e GAP – dois de Quaraí – Paipasso e Brangus GR – dois de Santa Maria – Condomínio Rocha Sartori e São Manoel – e outros dois de Rosário do Sul – VPR Brangus e Tradição Azul. Também estão inscritas as cabanhas Guarita, de Alegrete, São Rafael, de São Borja, São Carlos, de Protásio Alves, Madrinha, de Dom Pedrito, Condomínio Rural Wailler, de Lavras do Sul, São Xavier, de Tupancir! etã ;, e a JMT, de São Gabriel.

O presidente do Conselho Deliberativo Técnico da ABB, Antônio Carlos Corrêa Osório, diz que o teste tem como objetivo medir a eficiência alimentar e também analisar o ganho de peso, as características de carcaça avaliadas por ultrassom e o perímetro escrotal dos animais. Ao final é gerado um Índice (TOP Brangus) com ponderações de todas essas medições. A avaliação será coordenada pelo Professor Doutor Jaime Urdapilleta Tarouco, da Ufrgs, profissional de referência internacional em avaliação de carcaça por ultrassom e maior autoridade brasileira nesse tem! a.

O objetivo da prova Top Brangus é ranquear os animais mais bem avaliados e com características produtivas e equilibradas que o mercado da pecuária de corte busca, conforme Osório. “A eficiência alimentar não deve ser medida de forma isolada, mas junto com outras características de produção, como qualidade da carcaça, ganho de peso e fertilidade”, sublinha. E lembra que a seleção por eficiência alimentar é a ferramenta de maior impacto econômico na pecuária de corte e é usada em larga escala Estados Unidos e em países com pecuária de corte desenvolvida na seleção genética para melhorar os animais. “As principais centrais de insemina&cce! dil;&atil de;o estão buscando animais superiores que são provados com essas ferramentas de avaliação de desempenho”, frisa.

Julgamento – Os pesquisadores também avaliarão o temperamento dos animais, no início, no meio e no final dos testes. A Ufrgs usará um equipamento formado por dois pares de células fotoelétricas, instalados na saída do tronco de contenção a uma distância de 2 metros entre eles e a uma altura de 0,60 a 0,80 centímetros do piso. A velocidade de fuga é calculada pelo tempo que o animal percorre determinada distância, após o manejo. Ainda será feito um julgamento morfológico.

Os animais ainda serão avaliados por três técnicos da ABB, entre eles a zootecnista Renta Pereira, Superintendente do Serviço de Registro Genealógico da entidade. “O teste de temperamento e o julgamento morfológico, no entanto, não serão considerados para o Índice da Prova Top Brangus”, destaca o presidente do Conselho Deliberativo Técnico da ABB.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com