Trabalho genômico da Agro. Jacarezinho é referência na pecuária BR

Trabalho genômico da Agro. Jacarezinho é referência na pecuária BR

Gado AJ
Foto: Agropecuária Jacarezinho

A Agropecuária Jacarezinho foi uma das primeiras empresas no País a utilizar genômicas no trabalho de reprodução de bovinos.

A Agropecuária Jacarezinho, referência nacional na seleção de Nelore com o Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP), documento outorgado pelo Ministério da Agricultura (Mapa), foi uma das primeiras empresas no País a utilizar informações genômicas no trabalho de reprodução de bovinos.

A grande vantagem dessa tecnologia é apontar, com maior segurança e de forma antecipada, quais animais devem permanecer no processo de seleção (mesmo que ainda muito jovens), agregando confiabilidade às características já mensuradas pelos programas de seleção.

Nos touros jovens, o ganho de confiança de que eles podem transmitir sua genética aos filhos é de mais de 70% e com isso antecipa-se o processo de seleção desses touros em três anos.

Os números demonstram a eficácia do trabalho. Na Agropecuária Jacarezinho Fazenda Nova Terra (BA), 1,4 mil bezerros, criados no pasto por 17 meses e confinados por mais três meses, foram abatidos com 20 arrobas e 57% de rendimento de carcaça, números superiores aos rebanhos comerciais.

Rafael Zonzini, gerente corporativo de pecuária, reforça a importância da utilização das informações genômicas para a produção da empresa. “Utilizamos, de maneira pioneira no Brasil e em larga escala a tecnologia genômica, o que resulta na multiplicação da melhor dessa genética para a produção da pecuária brasileira”, afirma.

O CEO da Jacarezinho, Ian Hill, afirma que reprodutores e matrizes da Jacarezinho possuem o CEIP – Certificado Especial de Identificação e Produção, emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “Apenas um terço dos animais geneticamente superiores possuem esse selo”, completa.

O trabalho desenvolvido pela Jacarezinho na transmissibilidade de características para seus descendentes despertou o interesse das principais empresas de genética bovina do país. No total são 46 animais AJ produzindo sêmen nas centrais da ABS NEO, Alta Genetics, CRI Genética, CRV Lagoa, e Semex do Brasil.

O gerente de Produto de Corte da Semex, Antonio Carlos Sciamarelli Junior, destaca que a empresa está reformulando seu plantel e irá fortalecer a parceria com a Agropecuária Jacarezinho. “São animais diferenciados, avaliados, e por isso estamos adquirindo dois novos touros: Centurion e Mooney”, revela Junior. Eles se juntarão ao Rezende AJ, que está alojado na Central de produção e industrialização de sêmen Tairana, que faz parte do Grupo Semex.

Desde outubro de 2016, a ABS Pecplan possui parceria com a Jacarezinho. A fazenda integra o grupo de fornecedores de genética para o ABS NEO (programa que oferece ao mercado melhoramento via embriões congelados pela tecnologia IVB Transfer). “A fazenda é referência para o mercado no segmento CEIP. O rebanho se destaca pela rusticidade, habilidade materna, funcionalidade e com muita precocidade sexual e de acabamento de carcaça, ou seja, com características que a pecuária nacional busca”, descreve Gustavo Morales, gerente de Produto Corte Zebu da ABS.

Atualmente, a Agropecuária Jacarezinho fornece 89 fêmeas doadoras para o programa ABS NEO. Com a CRV Lagoa, a parceria já ultrapassa 25 anos. “Começou com a vinda do Kulal AJ no final da década de 1990 quando ele foi touro jovem escolhido para teste de progênie no PAINT (Programa de Avaliação e Identificação de Novos Touros) e, desde então, os melhores touros avaliados nos diferentes sumários da raça Nelore do criatório AJ fazem parte do nosso portfólio”, conta Ricardo Abreu, gerente de contas de corte da empresa.

Atualmente, há 08 touros do criatório AJ com sêmen convencional e sexado a pronta entrega: Bento AJ, Charrua AJ, Chumbo AJ, J Quest AJ, Litio AJ, Níquel AJ, Orff AJ e Van Bastem AJ. “O grande destaque na atualidade é o Litio AJ, líder absoluto nos sumários PAINT e Aliança com venda de mais de 110.000 doses de sêmen ao ano e o primeiro touro CEIP a ganhar o troféu palheta de ouro da CRV Lagoa”, afirma.

Na CRI Genética, além da parceria para o desenvolvimento e fornecimento de genética Nelore de ponta a criadores de todo o Brasil, uma das estratégias trabalhadas em conjunto com a AJ é identificar TJs ainda no processo de seleção. “Temos 9 touros AJ em nossa central, a maioria em teste de progênie”, conta o gerente de marketing, Daniel de Carvalho.

Segundo ele, a empresa quer aprofundar o relacionamento com a Jacarezinho. “Mais que a parceria em genética, pleiteamos uma possível atuação conjunta à AJ, afinal trabalhamos pelo mesmo fim e, em perfeita sintonia em termos conceituais”, explica.

Fonte: Agrolink