Vídeo: Fazendeiro processa governo por possível proibição do TikTok

Influenciador do TikTok, apelidado de “Cattle Guy” (Cara do Gado), argumenta que sua vida foi transformada pela popularidade alcançada na plataforma; “Sem ele [TikTok], estaríamos retirando o sustento da minha família”, enfatizou.

Lei aprovada nos EUA que pode banir o TikTok em todo o país motivou criadores de conteúdo a mover processo contra o governo de Joe Biden. Exemplo desse movimento é Brian Firebaugh, um agricultor e influenciador do TikTok conhecido como “Cattle Guy” (O Cara do Gado), está levando o governo dos Estados Unidos aos tribunais por conta de uma nova legislação que ameaça banir a plataforma.

O conflito entre o governo dos Estados Unidos e o TikTok ganhou mais um capítulo importante. Oito criadores de conteúdo do TikTok processaram o governo dos EUA por conta de uma nova lei federal que pode proibir a rede social em todo o país. As informações são da ABC News.

Em uma entrevista, Brian Firebaugh, o fazendeiro do Texas, que faz parte do processo do criador, disse que iniciou sua conta no TikTok em 2020 para ajudar a estabelecer sua marca e comercializar os produtos relacionados ao gado que vende online. Essa decisão permitiu que ele largasse seu emprego de tempo integral e vivesse da renda que ganhava com o TikTok, onde atualmente tem mais de 430 mil seguidores.

Residente em Waco, Texas, Firebaugh é proprietário de uma fazenda de gado e argumenta que a proibição proposta violaria seus direitos constitucionais de liberdade de expressão garantidos pela Primeira Emenda, além de prejudicar gravemente seus negócios, os quais prosperaram graças ao TikTok.

“O TikTok é uma parte vital do meu dia a dia e do meu sustento”, declarou Firebaugh em uma entrevista ao Houston Public Media. “Perder o acesso a essa plataforma seria um golpe devastador para nós. Todos os nossos clientes são provenientes do TikTok. Sem ele, estaríamos retirando o sustento da boca da minha família”, enfatizou.

Firebaugh, 44, disse que o TikTok também o ajudou a construir uma comunidade online com outros fazendeiros e lhe deu a oportunidade de participar de um reality show da Netflix onde seus ganhos permitiram que ele e sua esposa custeassem o processo de adoção de seu filho. Perder o TikTok, disse ele, atrapalharia tudo.

“Cem por cento dos nossos clientes vêm do TikTok”, disse Firebaugh. “Para que isso desapareça, agora você está roubando dinheiro da boca da minha família.”

A legislação em questão proíbe o TikTok de operar no país, a menos que seja vendido dentro de um ano, devido a preocupações relacionadas à segurança nacional, dado que a empresa-mãe do TikTok, ByteDance, tem sede na China. Esta legislação foi sancionada pelo presidente Joe Biden no mês passado.

Na última terça-feira, 14 de maio, foi iniciado um processo judicial buscando a declaração de inconstitucionalidade da referida lei. Não só Brian Firebaugh, mas também o próprio TikTok, entraram com ações judiciais semelhantes na semana anterior.

@cattleguy @NewsNation gave me one hell of an interview. Thank you so much for the giving me the opportunity speak! #tiktok #tiktokban #cattleguy #nationalsecurity #projecttexas @tiktok creators ♬ original sound – Cattle Guy 🐮

Firebaugh alega que, se a preocupação real fosse a segurança dos dados dos usuários, já existiriam leis abrangentes para proteger esses dados em todas as plataformas.

“Todos nós, independentemente de nossas origens e estilos de vida diversos, encontramos no TikTok uma maneira única de nos conectar e compartilhar nossas histórias”, afirmou ele.

Os criadores estão pedindo ao tribunal que emita uma declaração dizendo que a lei é inconstitucional e uma ordem que impediria o procurador-geral Merrick Garland de aplicá-la.

Foto: https://www.texastrailboss.com/

Soberania dos EUA ameaçada pelo TikTok?

O Departamento de Justiça disse que a legislação que poderia proibir o TikTok “aborda questões críticas de segurança nacional de uma maneira que seja consistente com a Primeira Emenda e outras limitações constitucionais. Esperamos defender a legislação em tribunal”.

A lei federal surge num momento de intensa rivalidade estratégica entre os EUA e a China numa série de questões e num momento em que os dois se enfrentam sobre temas geopolíticos sensíveis, como o apoio da China à Rússia na invasão da Ucrânia. Legisladores e funcionários do governo dos EUA expressaram preocupações sobre o quão bem o TikTok pode proteger os dados dos usuários das autoridades chinesas e argumentaram que seu algoritmo poderia ser usado para espalhar propaganda pró-China, o que o TikTok contesta.

De acordo com a lei, a ByteDance, controladora da TikTok, seria obrigada a vender a plataforma a um comprador aprovado dentro de nove meses. Se uma venda estiver em andamento, a empresa terá uma prorrogação de três meses para concluir o negócio.

No entanto, TikTok e ByteDance disseram em seu processo na semana passada que ainda não teriam escolha a não ser encerrar até 19 de janeiro porque continuar a operar nos EUA não seria comercial, tecnológica ou legalmente possível.

Eles afirmam que seria impossível para a ByteDance alienar sua plataforma TikTok nos EUA como uma entidade separada do resto do TikTok, que tem 1 bilhão de usuários em todo o mundo – a maioria deles fora dos Estados Unidos. Um TikTok exclusivo para os EUA funcionaria como uma ilha separada do resto do mundo, argumenta o processo. Ele também afirma que o governo chinês – que precisaria aprovar tal venda – “deixou claro” que não permitiria a venda do algoritmo de recomendação que preenche os feeds dos usuários e tem sido a “chave para o sucesso do TikTok nos Estados Unidos”.

Escrito por Compre Rural

VEJA TAMBÉM:

ℹ️ Conteúdo publicado pela estagiária Ana Gusmão sob a supervisão do editor-chefe Thiago Pereira

Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

Siga o Compre Rural no Google News e acompanhe nossos destaques.
LEIA TAMBÉM