Vídeo mostra onça matando bezerro em fazenda; Confira!

PARTILHAR

Onça é flagrada comendo bezerro em fazenda no Pantanal; Nas imagens o animal aparece arrastando o bezerro para o meio da mata e o devorando, calmamente!

Uma câmera de segurança instalada em uma mata na Fazenda São José que fica a 54 quilômetros Aquidauana, flagrou uma onça-pintada em uma de suas aparições mais raras. No vídeo o animal de grande porte, uma onça matando um bezerro que ela se alimentou na propriedade.

Com o avanço da ocupação de reservas ambientais e a menor oferta de alimentos nas florestas, o número de casos de onças em lavouras e pastagem vem aumentando ano a ano no país e tem preocupado tanto produtores rurais quanto ambientalistas. No ano passado, onças-pintadas (Panthera Onca) abateram 1.831 bezerros de uma das maiores fazendas agropecuárias do país, a Roncador, que fica em Querência (MT). Em 2019, haviam sido abatidos mais de 900 animais.

Pelerson Penido Dalla Vechia, o dono da fazenda de 147 mil hectares, sendo 72 mil hectares de mata nativa ou área de preservação, diz que o aumento de mortes de bezerros é um indicador da qualidade da biodiversidade das matas da propriedade porque a onça está no topo da cadeia alimentar.

Conforme o site O Pantaneiro as imagens foram feitas depois que os pões da fazenda encontraram o bezerro morto, durante o manejo do gado. Como o bovino havia sido arrastado para o meio da vegetação, eles deduziram que ele teria sido atacado por uma onça que ainda poderia estar na região.

Para flagrar o banquete do felino, um dos guias turísticos da fazenda onde também funciona a Pousada Aguapé, instalou uma câmera próximo ao animal morto. A pousada é uma das opções do ecoturismo na região.

Só no dia seguinte, a onça retornou onde deixou a carcaça do bezerro e continuou se alimentando. Em uma das imagens o felino aparece devorando o animal com bastante calma e depois de algum tempo, desaparece em meio a mata.

Foto Divulgação.

Em um outro ponto da gravação a onça pintada devora o bezerro em outra parte da mata, depois de arrastá-lo por mais alguns metros. A reportagem não conseguiu entrar em contato com a administração da pousada.

Confira o flagrante da onça matando bezerro a seguir:

Fazenda Roncador é exemplo

Dono da propriedade, que é certificada pela preservação das onças, diz que registros terem dobrado de 2019 para 2020 indica qualidade da biodiversidade das matas.

Penido diz com orgulho que a Roncador, que tem mais de 70 mil cabeças de gado, foi a primeira do país a receber a certificação do Instituto Onça Pintada.

O agropecuarista conta que faz testes com cercas elétricas para tentar barrar o acesso das onças às áreas de maternidade visando minimizar as perdas, mas os bezerros nascem em todas as partes da fazenda e não existe abate de onças em represália à predação.

O fazendeiro que produz grãos e pecuária de corte no sistema ILP (Integração Lavoura-Pecuária) diz que já avistou muitas onças na propriedade. “No ano passado, estava percorrendo uma parte da fazenda de canoa com meus filhos e uma onça passou tranquilamente nadando ao nosso lado. É uma sensação incrível ver o animal tão perto. Dá medo, é claro, mas você não vai mexer com ela.”

Neste ano, funcionários da Roncador fotografaram uma onça na beira da mata com seu filhote. Detalhe: a mãe era preta e o filhote, pintado.

Outros ataques de onça que chamam atenção

Produtor x Onças

Para lidar com os desafios da convivência entre pecuaristas, gado e onça, Penido orienta que o produtor agregue valor à sua produção  a partir de certificações que atestam a preocupação com a conservação animal. 

“O pecuarista que tem um abate de bezerros anual pode tentar compensar esta perda por meio da agregação de valor da carne do boi que conviveu com a onça. Isso é uma tentativa de compartilhar o custo ambiental de prejuízos na fazenda que a onça proporcionou juntamente com a sociedade”, explica Penido.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com