Volume de fretes do agronegócio do Brasil cresceu 33,2% no 1º semestre

PARTILHAR
Foto: Divulgação

O relatório foi desenvolvido com base na análise de 4,7 milhões de fretes publicados na Fretebras entre janeiro e junho, 1,7 milhão foram de produtos do agronegócio.

O volume de fretes rodoviários do agronegócio brasileiro aumentou em 33,2% no primeiro semestre de 2022 na comparação com o mesmo período do ano passado, com impulso do transporte de fertilizantes, mostrou relatório divulgado nesta terça-feira pela Fretebras, plataforma online de transporte de cargas.

Os produtos com maiores aumentos nos volumes de frete no semestre, na comparação anual, foram trigo (+182,5%), açúcar (+75,4%) e milho (+64,7%). No caso dos cereais, houve impulso de forte exportações no período.

Mas os produtos mais transportados no setor entre janeiro e junho foram os fertilizantes, respondendo por 25,6%. A movimentação desses insumos teve um incremento de 17,4%, semestre a semestre, com importadores buscando garantir ofertas diante de preocupações com impactos da guerra na Ucrânia.

Apesar dos problemas de estiagem no Sul que afetaram a produção da soja no primeiro semestre, o frete do grão cresceu 29,3% na comparação anual, e sua participação no grupo de produtos agro foi de 13%, atrás apenas dos fertilizantes. As exportações da oleaginosa foram mais fortes nos primeiros dois meses do ano, com uma colheita mais antecipada.

O agronegócio representou 36% de todas as cargas publicadas na plataforma no primeiro semestre. O Rio Grande do Sul foi o Estado mais representativo, com 15,6% dos fretes, seguido por São Paulo (12,6%), Minas Gerais (11,9%) e Mato Grosso (11,5%).

O relatório foi desenvolvido com base na análise de 4,7 milhões de fretes publicados na Fretebras entre janeiro e junho, dos quais 1,7 milhão foram de produtos do agronegócio.

Fonte: Reuters

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com