Alerta de nova geada coloca produtor em alerta, veja!

PARTILHAR

Segundo as previsões, as temperaturas vão baixar mais uma vez na segunda quinzena de julho; o frio deve provocar formação de geada!

O dia mais frio deste ano, foi registrado na quarta-feira, dia 30 de junho, quando grande parte do país teve seus termômetros caindo drasticamente, além de uma forte geada generalizada em grande parte do Sul do Brasil. Os prejuízo no campo ainda são somados, principalmente no que diz respeito as lavouras. Mas a meteorologia já faz o alerta, vem uma nova onda de frio por ai!

Uma nova onda de frio deve provocar a formação de geadas em áreas do Sul, mas especificamente no Paraná. “Entre os dias 15 a 19 de julho, o frio avança e derruba as temperaturas no centro e Sul do país. Não será uma onda de frio tão intensa quanto a que vimos na semana passada, mas que favorece a ocorrência de geadas”, diz Maria Clara Sassaki, da Somar.

Os modelos meteorológicos oscilam bastante a tendência para a segunda quinzena do mês de julho sobre o Brasil, mas de qualquer forma, a segunda metade do mês vai começar com o avanço de uma grande frente fria pelo país. Este sistema será continental e bem extenso, semelhante ao que aconteceu no fim de junho. O ar polar vai atingir áreas do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e até do sul do Amazônia.

Segundo a meteorologista, a expectativa é de quedas nas temperaturas que ligam o alerta para geadas na região de Cascavel (PR). “Por volta do dia 20 de julho, as temperaturas caem mas de forma rápida, mas, mesmo assim, há chance de geada rápida para a região de Cascavel”, pontua.

No entanto, até a chegada do frio, os próximos dias serão de tempo firme para grande parte do centro e sul do Brasil. Em Mato Grosso, o tempo vai favorecer a colheita de algodão na cidade de Primavera do Leste. Segundo a previsão do tempo, até 5 de agosto não há previsão para chuvas significativas na região.

Durante a última geada, temperaturas negativas foram observadas no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em Mato Grosso do Sul, em São Paulo e em Minas Gerais. O frio intenso provocou geada nestes estados e antes da geada, o Sul do Brasil teve três dias com ocorrência de neve. A temperatura chegou a 7,5°C abaixo de zero nas regiões de maior altitude da serra catarinense.

Frio intenso foi observado no sul de Goiás e no Triângulo Mineiro, com temperaturas na faixa entre 1°C e 5°C. Vilhena, no sul de Rondônia teve temperatura em torno de 7°C no dia 30 de junho. As capitais São Paulo e Rio De Janeiro registraram menos de 10°C pela primeira vez este ano.

“O tempo mais seco é provocado por um bloqueio atmosférico, que empurra as frentes frias para o oceano. Com isso, o ar seco ganha intensidade nas áreas do interior do Brasil, com as temperaturas cada vez mais elevadas.  Com a falta de chuvas, a umidade do solo diminui bastante em áreas como no Matopiba, Centro-Oeste e Nordeste, que seguem com o tempo firme ao longo dos próximos dias”, ressalta Maria Clara Sassaki.

A frente fria deve trazer um pouco de chuva neste início da segunda quinzena, principalmente no Sul, Mato Grosso do Sul, e sul, oeste e leste de São Paulo. Confira o mapa da projeção:

Ar frio de origem polar

Com a entrada da frente fria, a temperatura já diminui, mas é depois da passagem do sistema, que o ar polar entra com mais força e derruba as temperaturas sobre o Brasil.  A onda de frio pode ser tão forte quanto a de junho, mas por enquanto não há possibilidade de neve para a Região Sul do Brasil. 

No entanto, há previsão para geada em amplas áreas do Sul e até pode gear em algumas áreas de Mato Grosso do Sul e São Paulo.  

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.