Apagão na reposição faz preço disparar, e agora?

Apagão na reposição faz preço disparar, e agora?

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Boi magro de 14@ chega a ser negociado a R$3500,00, bem acima dos R$2900,00 de 45 dias atrás. Preços do bezerro estão 10% acima da média histórica. Confira!

Preço do Boi Gordo teve uma valorização nas últimas semanas, principalmente no final do mês de junho, chegando aos patamares atuais de R$ 225/@ para animais com padrão exportação. Esse cenário trouxe grande otimismo e procura no mercado de reposição, que está escasso pelo maior abate de fêmeas nos últimos anos, trazendo uma nova onda altista para os preços, com valorizações de R$ 600 em menos de 50 dias para o Boi Magro.

Em entrevista, o Vice-Presidente do Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), Francisco Brandão, destacou que as indústrias frigoríficas testaram na semana passada pressionar os preços ofertados na arroba do boi gordo. “Um dos fatores se deve pelas precauções dos chineses contra a disseminação do coronavírus no país e também que um dos grandes frigoríficos colocaram muita carne no atacado de São Paulo”, comentou.

A questão que fica neste momento é: “O Brasil realmente possui 214 milhões de cabeças como diz o IBGE?”. Onde está esse rebanho?

Thiago Pereira – Zootecnista

Os animais que foram entregues para os confinamentos ainda não estão terminados, ou seja, a oferta restrita de animais deve seguir por mais algumas semanas. “O gado de confinamento começa a sair no final de julho até setembro para quem faz a primeira etapa. Por isso, os frigoríficos estão ofertando valores entre R$ 220,00/@ a R$ 230,00/@”, ressalta.

Os pecuaristas estão bem cautelosos antes de negociar um animal já que a reposição está elevada. “Os produtores estão buscando por animais mais jovens e isso tem travado um pouco novos negócios. Além disso, está muito difícil de encontrar animais com 270 kg para confinar”, relata.

Pecuarista que não fizer a conta e planejamento estratégico não terá margem de lucro no mercado do boi.

Como estão os preços da reposição, segundo os pecuaristas?

O app da Agrobrazil, grande aliado do pecuarista, traz nas tabelas abaixo o comportamento dos preços nos últimos meses, segundo os dados informados pelos próprios pecuaristas nas negociações.

Segundo a copilação da Agrobrazil, é possível ver a grande valorização da categoria do boi magro. Na tabela abaixo, se olharmos para o estado de São Paulo, temos uma valorização de quase R$ 35,00/@ no primeiro semestre do ano, sendo a maior alta entre abril e maio, período de maior demanda para o primeiro giro do confinamento.

Tabela 1. Média Agrobrazil por Arroba – Boi Magro 2020

Quando o assunto é bezerro, esse não há dúvidas de que o apagão de animais no mercado chegou e deve perdurar nos próximos anos. O maior número de abates de fêmeas nos últimos anos trouxe um deficit na balança. Segundo alguns analistas, o maior volume de carne exportada nos últimos meses, atrelado a menor oferta da reposição fez com que a categoria se tornasse mais valorizada no mercado.

Tabela 2. Média Agrobrazil por Arroba – Bezerro 2020

A menor oferta de animais para reposição não é uma exclusividade do boi magro ou bezerro, quem está acostumado com o grande volume de vacas de descarte, tem encontrado preços até R$ 1000 mais caro por animal, quando comparado ao início do ano. A questão que fica neste momento é: “O Brasil realmente possui 214 milhões de cabeças como diz o IBGE?”.

Diante do que foi exposto, a preocupação que circula neste momento é quanto ao futuro desses preços e da oferta de animais. O Brasil passa por um momento que já ocorreu nos EUA. A alguns anos, a demanda foi tão grande no mercado de carnes que a produção da reposição era menor do que a demanda, fazendo com que a fase da recria desaparecesse.

A intensificação ganha cada vez mais lugar dentro da pecuária, a busca pela precocidade sexual, precocidade no acabamento e redução na idade de abate são fatores que estarão cada vez mais presente no cenário brasileiro.

Brandão aponta que um animal de 425 kg estava cotado no inicio de junho a R$ 2.900,00. “Há 15 dias, eu comprei um animal com baixa qualidade e paguei R$ 3.100,00. Hoje com esse valor você compra um boi magro com menos de 13 arrobas e animais zerados estão na faixa de R$ 3.500,00”, alerta.

Atualmente, as referências para a arroba do boi futuro estão próximas de R$ 213,00/@ para o contrato outubro. “Esses atuais patamares não estão nem próximos do que o mercado físico precifica. Com o contrato outubro mais barato do que no mercado físico não é possível fechar animais no confinamento e esse risco o pecuarista não gosta de correr”, explica.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Zootecnista pela Universidade Federal de Viçosa MBA em Gestão de Projetos pela UNIUBE, idealizador do projeto Tecnologia para o Agronegócio. Possui base técnica e experiência de campo em propriedades de corte e leite. Sócio-Diretor do Compre Rural. (62) 996441746 thiagorp100@gmail.com