Apoiado no clima, preços avançam na B3 e Chicago

PARTILHAR
milho sendo carregado em caminhao
Foto: Divulgação

Commodities tem forte avanço na B3 e Chicago no início da semana com suporte nos fundamentos e clima; Confira abaixo o que disse a Agrifatto!

No mercado físico, o milho começa a semana com o preço estável nas principais praças do país, em Campinas/SP o cereal está sendo avaliado na casa dos R$ 86,00/sc. Enquanto aguardam preços mais atrativos, os vendedores seguram a produção baseados no andamento da colheita e na confirmação da redução das produtividades. Na B3 a previsão de geadas para o PR e MS trouxe alta generalizada nos contratos, a exemplo, o futuro com vencimento para julho/21 está sendo cotado a R$ 87,16/sc, avanço de 5,00% no comparativo diário.

Em Chicago os preços dos futuros disparam. Após a queda da última semana, um movimento de cobertura de posições vendidas reaquece o mercado. O contrato para julho/21 encerra o dia se valorizando em 6,13%, negociado a US$ 6,75/bu.

Boi Gordo

A semana começa calma no mercado físico do boi gordo, com os preços da arroba se mantendo firme. Nas principais praças paulistas, o preço do boi gordo continuou alinhado com os R$ 320,00/@. Na B3, depois das fortes quedas dos últimos dias, o contrato com vencimento em outubro/21 fechou a segunda-feira cotado a R$ 315,85/@, com valorização de 0,73% no comparativo diário.

No mercado atacadista de carne bovina, os preços dos principais cortes começaram a semana estáveis. A carcaça casada bovina seguiu cotada a R$ 19,60/kg. O remanescente da semana passada está sendo ofertado hoje, mostrando que ainda há dificuldade de escoamento. O mercado nutre expectativas para uma possível melhora nas vendas com a chegada do mês de julho/21

Soja

O preço da soja no mercado físico se sustenta na casa dos R$ 149,00/sc, em Paranguá/PR. Após alta em Chicago, o mercado brasileiro responde de maneira positiva ao aumento dos preços, interrompendo o movimento de queda dos últimos dias.

Na CBOT, a oleaginosa encerra a segunda-feira com uma correção após uma última semana de derrocada para os futuros. A alta do óleo de soja e uma recompra de contrato realizada por traders pressionaram os preços para cima novamente, a exemplo, o contrato para julho/21 fechou o dia na casa dos US$ 13,57/bu, alta de 2,05%.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com