Arroba do boi gordo em alta ou queda? Veja o que esperar!

Arroba do boi gordo em alta ou queda? Veja o que esperar!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Segundo analista, o mercado está tentando encontrar um ponto de equilíbrio após a grande variação do preço da arroba; As praças seguem alternadas!

O mercado físico de boi gordo teve preços indefinidos na terceira semana de dezembro. “O mercado está tentando encontrar um ponto de equilíbrio após a forte volatilidade dos últimos meses”, disse o analista de Safras & Mercado Allan Maia. 

Segundo ele, o volume de oferta de animais terminados segue caindo, mas não há uma grande força compradora no mercado neste momento. “Os frigoríficos, principalmente os de maior porte, já estão com suas escalas de abate fechadas para este fim de ano, e atuam de maneira discreta na compra de gado. Alguns frigoríficos de menor porte contam com escalas entre três e quatro dias úteis. A expectativa gira agora em torno das negociações no início de 2020, onde a oferta ainda tende a ser restrita”, assinalou.

Os preços a arroba do boi gordo na modalidade à vista nas principais praças de comercialização do país estavam assim no dia 19 de dezembro:

  • São Paulo (Capital) – R$ 200 a arroba, contra R$ 190 a arroba em 12 de dezembro, subindo 5,13%;
  • Goiás (Goiânia) – R$ 186 a arroba, ante R$ 187 (-1,05%);
  • Minas Gerais (Uberaba) – R$ 189 a arroba, estável;
  • Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 186 a arroba, ante R$ 187 (-0,53%);
  • Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 181,00 a arroba, ante R$ 183 a arroba (-1,1%).

Boi gordo sobe em Rondônia, segundo Scot Consultoria

No Sudeste do estado, a oferta de boiadas está pouca. Com isso, os compradores ofertam preços maiores a fim de compor as programações de abate.

Na última sexta-feira (20/12), o boi gordo ficou cotado em R$165,00/@, à vista, bruto, em R$164,50/@, à vista, com o desconto do Senar e em R$162,50/@, à vista, livre de impostos (Senar e Funrural). Além desta praça, os preços também subiram em outras cinco regiões pecuárias. 

Em São Paulo, as indústrias estão com as escalas prontas para atender os abates de final de ano, por outro lado, boa parte dos pecuaristas estão fora dos negócios. Esse cenário, de oferta limitada e demanda amena por boiadas, mantém as cotações estáveis. 

Exportações 

As exportações de carne bovina in natura do Brasil renderam US$ 316 milhões em dezembro (10 dias úteis), com média diária de US$ 31,6 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 63,2 mil toneladas, com média diária de 6,3 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 5.002,70.

Na comparação com novembro, houve baixa de 16,4% no valor médio diário da exportação, perda de 18,8% na quantidade média diária exportada e alta de 3,0% no preço. Na comparação com dezembro de 2018, houve ganho de 30,9% no valor médio diário, baixa de 0,3% na quantidade média diária e ganho de 31,3% no preço médio.

Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Expectativas para a reta final de 2019 e início de 2020

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com