Arroba está subindo, preço já chega a R$ 216, e agora?

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Preços da arroba voltaram a subir, aponta indicador Cepea, em movimento considerado exagerado pelos analistas; preço da arroba já chega a R$ 216. Confira!

As indústrias frigoríficas estão sem negociar grandes lotes de animais desde o inicio de dezembro e as programações de abate giram ao redor de 3 dias úteis no estado de São Paulo. Na última sexta-feira (13), o indicador Esalq/B3 encerrou cotado a R$ 216,65/@ com uma valorização de 4,06%.

De acordo com o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, a variação do indicador Cepea da última sexta-feira chamou a atenção do mercado. “Olhando das semanas passadas, não tivemos uma evolução das escalas de abate já que nesta época muitos estão de férias e a tendência é a oferta ficar mais restrita que levou o indicador para cima”, comenta.

Apesar das referências estarem nos patamares dos R$ 205,00/@ a R$ 210,00/@, os pecuaristas e as indústrias estão cautelosos para negociar. As escalas de abate estão ao redor de 3,5 dias úteis. “Então, não houve uma mudança significativa nas programações e os volumes de negócios ocorrem de forma pontual no estado de São Paulo”, afirma.

A expectativa é que o varejo procure pelo a carne para abastecer o supermercado com as festividades de final de ano. Para janeiro, a tendência é que o consumo fique lento já que neste período a população tem que pagar os impostos. “Nós estamos otimistas para 2020, mas em Janeiro podemos ter uma acomodação nas referências”, aponta.

Frigoríficos seguem sem concretizar grandes compras de animais desde o início de dezembro e escalas tem média de 3 dias em SP.

Do lado do mercado externo, a negociação por preços menores é uma estratégia adotada pela a China. “Mesma que tenha algum reajuste nos preços de 8 p. p ainda será um bom preço e o quadro da China como um todo ainda é grave com a epidemia da peste suína que acabou com a maior parte do pantel”, relata.

Com relação às condições climáticas, Coelho ressalta que as precipitações estão retomando em bons volumes. “Quem tem pasto vai demorar alguma coisa para sair e o pecuarista está vendo essa recuperação e vai esperar para negociar nos próximos dias”, destaca.

Compre Rural com informações do CEPEA e Notícias Agrícolas

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com