Arroba tem nova alta e preço mira R$ 260 com otimismo!

Arroba tem nova alta e preço mira R$ 260 com otimismo!

PARTILHAR
@alexandrabrazil

Arroba avança em setembro, repetindo desempenho de agosto; exportações em ritmo forte e oferta escassez de boiadas explicam a sustentação no movimento de alta.

Nesta quinta-feira, os preços máximos do boi gordo se aproximaram dos R$ 250/@, a prazo, em São Paulo, conforme apurou a IHS Markit. Trata-se de um novo recorde nominal. Outras praças também registraram valorizações na arroba hoje, sobretudo na região Norte do País. O indicador do Cepea teve nova alta e garante mais um recorde no preço do boi gordo!

“Com as altas acumuladas na arroba nesta semana, o mercado registrou maior liquidez e a maioria dos frigoríficos conseguiu preencher as escalas até o meio da próxima semana”, relata a IHS.

Segundo app da Agrobrazil, o preço médio para praça de São Paulo, fechou o dia cotado a R$ 248,88/@, com preço variando de R$ 246 a R$ 250/@. Já a média para o estado de Goiás, ficou cotada em R$ 235,81.

Pecuarista de Rancharia/SP, informou negócios para o boi China, com valor de R$ 250/@ com prazo de 8 dias para pagamento e abate para o dia 16 de setembro.

Preço Cepea

Nessa quinta-feira, 10, o Indicador CEPEA/B3 fechou a R$ 247,45, à vista, praça paulista, com alta de 4% no acumulado parcial de setembro (até o dia 10). Segundo pesquisadores do Cepea, “esse movimento continua tendo como suporte a baixa oferta doméstica de animais e as exportações de carne aquecidas, principalmente à China”.

Lembrando que o Cepea é utilizado para grande parte dos contratos e preço base nas negociações com os frigoríficos.

Segundo a consultoria, mesmo com os patamares recordes nos preços do gado gordo, pecuaristas também se mostram um pouco cautelosos na atividade, uma vez que os preços da ração e da reposição também acumularam fortes altas no último mês. “Dessa forma, mesmo com a entrada de alguns lotes de boiada dos confinamentos, a oferta restrita de animais terminados deve dar suporte para manutenção da pressão altista nos preços da arroba no curtíssimo prazo”, prevê a IHS Markit.

Outro fator positivo para o setor é o desempenho das exportações de carne bovina, que seguem em ritmo acelerado, puxadas principalmente pelas compras direcionadas à China. Na primeira semana de setembro, segundos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), a média diária das exportações ultrapassou as 8,22 mil toneladas, representando um avanço de 25% frente aos números de setembro de 2019 e 6% maiores do que a média diária de agosto de 2020. “Mantido esse ritmo, provavelmente teremos o melhor mês de setembro da história para a exportação de carne bovina brasileira”, prevê a consultoria Agrifatto. Os embarques brasileiros de carne bovina in natura encerraram agosto com recorde para o mês, atingindo 163,22 mil toneladas, com uma receita de US$ 654,24 milhões.

Estabilidade no atacado

No atacado, os preços dos principais cortes bovinos ficaram estáveis nesta quinta-feira, refletindo a atual lentidão no consumo de carne nos centros urbanos. Do lado da oferta, a dificuldade das indústrias em avançar com as escalas de abate tem reduzido a disponibilidade de carne nas câmaras frigoríficas, informa a IHS Markit. “Dessa forma, os preços seguem estáveis e sustentados e sem tendência de ajustes no curtíssimo prazo”, projeta a consultoria.

Giro pelas praças

Nas praças ao Norte do País, os preços do gado gordo subiram no Pará, Rondônia e Tocantins nesta quinta-feira. Nessas regiões, os ajustes positivos têm suporte na escassez de oferta associada ao firme apetite comprador, informa a IHS Markit.

No Centro-Sul, a arroba se valorizou na maior parte dos Estados nesta quinta-feira, pressionada pela baixa disponibilidade de boiada e atuação firme de indústrias exportadoras.

No Mato Grosso, houve registro de altas pontuais no dia de hoje em algumas praças do Estado.

Em São Paulo, como citado anteriormente, o preço do boi gordo subiu mais um pouco nesta quinta-feira, atingindo R$ 248/@, a prazo, e renovando o recorde nominal da região.

Na região Sul de Goiás, depois de elevar os valores oferecidos, frigoríficos estenderam escalas de abate por, em média, 7 dias, relata a IHS.

No Mato Grosso do Sul, a arroba da vaca se valorizou. E em Minas Gerais, o preço do macho também subiu nesta quinta-feira.

Compre Rural com informações do Cepea, Agrobrazil, IHS Markit, Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com