Australianos usam algas para reduzir metano emitido pelo gado

PARTILHAR
australianos estao usando algas contra o metano
Foto: Queensland Country Life

Produto é produzido à partir de algas verdes e através do consumo faz com que a emissão de metano dos bovinos seja diminuída; confira como funciona a tecnologia

O assunto “emissões de gases do efeito estufa” nunca foi tão debatido no mundo todo, até mesmo culpar as vacas pela emissão de metano está na moda. A pecuária é uma atividade praticada no mundo todo, e vendo a eminência da sociedade nos culpar pelos problemas climáticos o setor vem buscando soluções sustentáveis para o problema.

Algumas tecnologias e manejos podem garantir uma menor emissão desses gases, inclusive a Embrapa tem feito um ótimo trabalho de difusão de tecnologias e manejos e salienta que a emissão de gás metano no ambiente depende também do sistema de produção. “As propriedades que utilizam o Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), por exemplo, em vez de emitir gases, os sequestra”, ressalta o analista da Embrapa Meio-Norte (PI) Marcílio Nilton Lopes da Frota.

A DSM em parceira com a JBS também desenvolveu um suplemento capaz de reduzir em até 90% das emissões de metano pelos bovinos. Será uma revolução da pecuária em relação às emissões de metano. O aditivo é adicionado à alimentação dos animais em confinamento. Um quarto de colher de chá do aditivo ao dia, por animal, inibe a enzima que ativa a produção do gás metano no estômago do ruminante. As empresas vão desenvolver em conjunto o plano de implementação do produto na cadeia produtiva.

australianos estao usando algas contra o metano 2
Foto: Queensland Country Life

Os australianos, pensando nisso, lançaram recentemente um suplemento alimentar para bovinos que combate a emissão de metano, desenvolvido à partir de algas verdes e indicado para animais em regime de pasto. Lançado pela Genesis Algae Innovation, o AlgaeFeed reduz diretamente as emissões de metano do gado em impressionantes 20%, bem como melhora a saúde animal em geral, o desempenho reprodutivo e a qualidade da carne.

O diretor administrativo da empresa, Colin McGregor, disse que o AlgaeFeed foi uma solução genuína para gado e meio ambiente testada pela Universidade de Queensland, ajudando a combater as mudanças climáticas enquanto melhora a produção e a qualidade do gado. “Estamos entusiasmados por poder oferecer este produto único aos nossos pecuaristas”, disse o Sr. McGregor.

“É econômico, natural e o único produto de redução de metano comercialmente viável e prontamente disponível no mercado hoje.”

Segundo o diretor o produto custa cerca de AU$ 0,14 (o que convertido em reais seria o equivalente a R$ 0,55), dependendo dos volumes comprados. O consumo diário exigido é de cerca de 2 litros/dia. O produto é vendido como concentrado ou transportado na forma líquida em IBCs ou caminhões-tanque.

australianos estao usando algas contra o metano
Mais de um milhão de litros do AlgaeFeed rico em ômega 3 são produzidos em Bowen, no norte de Queensland / Foto: Queensland Country Life

McGregor disse que a operação de cultivo de algas também está ajudando a combater as mudanças climáticas. “Um hectare de tanque de crescimento de algas absorverá uma quantidade semelhante de CO2 do meio ambiente como 360 hectares de floresta tropical”, disse ele.

“Isso significa que os produtos não apenas ajudam o meio ambiente, reduzindo as emissões de metano, mas também desempenham um papel importante na remoção de carbono da atmosfera.”

As emissões da pecuária respondem por cerca de 70% das emissões de gases do efeito estufa pelo setor agrícola australiano – 1% do total das emissões nacionais de gases do efeito estufa. A pecuária é a terceira maior fonte de emissões de gases de efeito estufa, depois dos setores de energia e transporte, e a fonte dominante de metano (CH4) e óxido nitroso (N2O).

O material foi traduzido pela equipe do Compre Rural diretamente do site Queensland Country Life

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.