Baixos níveis dos rios e aumento do frete de barcaças reduzem exportações de grãos dos EUA

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Os problemas logísticos ocorrem à medida que a colheita do centro-oeste dos EUA avança e a temporada de exportação de safras mais movimentada começa.

Inúmeras barcaças encalharam no baixo rio Mississippi e as taxas de embarque de barcaças de grãos estão subindo para máximas históricas nesta semana, já que a seca reduziu as vias navegáveis interiores a níveis não vistos em décadas.

E com pouca chuva prevista, os baixos níveis de água estão prejudicando as exportações de grãos já lentas na Costa do Golfo dos EUA, onde cerca de 60% das exportações de milho, soja e trigo dos EUA saem do país.

Os problemas logísticos ocorrem à medida que a colheita do centro-oeste dos EUA avança e a temporada de exportação de safras mais movimentada começa, em um ano em que a oferta global apertada e a forte demanda por alimentos e combustíveis estão ajudando a impulsionar a inflação para níveis mais altos.

“As projeções para os níveis de água estão diminuindo, o que significa que essa situação vai piorar”, disse Mike Steenhoek, diretor executivo da Soy Transportation Coalition. “A menos que tenhamos uma quantidade significativa de chuvas em breve, esta temporada será um desafio.”

As viagens de barcaça têm sido um dos meios mais econômicos de levar culturas de commodities para o mercado global.

Mas problemas estão aparecendo. As linhas de navegação reduziram drasticamente o calado das barcaças para que as embarcações fiquem mais altas no rio, reduzindo efetivamente a tonelagem por barcaça em um quarto ou mais, disseram carregadores e comerciantes.

Os rebocadores no baixo Mississippi são forçados a reduzir o número de barcaças por reboque em quase 40% para se espremer nas rotas de navegação secas, disseram eles.

Diante dessa situação, alguns elevadores de grãos lutam para encontrar alternativas para transportar suas colheitas para exportação, de acordo com fontes em três elevadores de rios. Alguns vendedores de grãos estão analisando o frete ferroviário ou explorando portos fora de Nova Orleans, disseram eles.

O rio Mississippi em Memphis, Tennessee, estava na quinta-feira no oitavo nível mais baixo registrado e provavelmente desafiará um recorde histórico durante a seca de 1988 em meados de outubro, de acordo com uma previsão do Serviço Nacional de Meteorologia.

Um embarcador de barcaças disse que pelo menos 10 barcos encalharam ao sul do Cairo, Illinois, na semana passada, enquanto outros estão carregando menos carga.

“Os caras que pensavam que estariam carregando calados de 12 pés agora estão carregando 9-1/2 ou menos, então você acabou de perder pelo menos 500 toneladas por barcaça”, disse ele.

Essa perda de volume e a desaceleração da navegação aumentaram os custos de transporte de barcaças e tornaram as colheitas dos EUA menos competitivas globalmente. O dólar americano perto de uma máxima de 20 anos diminuiu ainda mais a demanda.

O Brasil, maior fornecedor de soja do mundo, ultrapassou os Estados Unidos como o exportador mais competitivo da oleaginosa para a China, disse o presidente da empresa ferroviária Rumo disse na quinta-feira.

O frete de barcaças no movimentado porto americano de St. Louis atingiu um recorde de 49,88 dólares por tonelada nesta semana, um aumento de 58% em relação ao ano anterior, disse o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

Desde o início deste mês, as descargas de barcaças de grãos nos terminais de exportação da Costa do Golfo da Louisiana ficaram 39% abaixo da média de cinco anos, mostraram dados do USDA.

Fonte: Reuters

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). 🚜🌱

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com