Balança comercial de lácteos: importações seguem ganhando força

PARTILHAR
Foto: Divulgação

O cenário desfavorável às exportações se perpetuou em julho, ocorrendo decréscimos no volume exportado de produtos lácteos.

Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (08/08) pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), o saldo da balança comercial de lácteos foi de -98 milhões de litros em equivalente-leite no mês de julho, uma diminuição de 23 milhões, ou aproximadamente 31% em comparação ao mês anterior.

Ao se comparar ao mesmo período do ano passado (julho/2021), o saldo deste ano também foi mais negativo, sendo que o valor em equivalente-leite nesse período foi de -61 milhões de litros, representando uma diferença de aproximadamente 37 milhões de litros, ou 60,7%. Esta foi a terceira variação negativa consecutiva, e o valor é o menor desde fevereiro de 2021. Confira a evolução no saldo da balança comercial de lácteos no gráfico 1.

Gráfico 1. Saldo mensal da balança comercial brasileira de lácteos.

balança comercial
Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

Novamente ocorreram recuos nas exportações, porém,desta vez a queda foi mais amena que as duas últimas registradas.

O período apresentou um decréscimo de -0,6 milhões de litros no volume exportado, representando um recuo de aproximadamente 7,7%. Ao se comparar com 2021, o cenário é ainda mais destoante, ocorrendo um decréscimo de -4,2 milhões de litros, representando um recuo de aproximadamente 36,8% no volume exportado no período. Desta forma, o cenário desfavorável às exportações se perpetuou em julho, ocorrendo decréscimos no volume exportado de produtos lácteos, pelo terceiro mês consecutivo.

Gráfico 2. Exportações em equivalente-leite.

balança comercial
Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

Por outro lado, as importações seguiram ganhando força no último mês, frente a elevação da vantagem competitiva dos produtos internacionais.

O mês de julho apresentou um aumento de 26,7% nas importações, com um acréscimo no volume de importações de 22,2 milhões de litros em equivalente-leite.

Analisando o mesmo período do ano passado, também se nota um aumento entre os volumes importados; em junho de 2021, 72,5 milhões de litros em equivalente-leite foram importados, já em 2022 esse valor teve uma variação positiva de aproximadamente 45,4%, configurando um aumento expressivo de 32,9 milhões de litros em equivalente-leite comparando-se os anos, o que pode ser observado no gráfico a seguir:

Gráfico 3. Importações em equivalente-leite.

balança comercial
Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

Esse aumento nos volumes importados e recuo das exportações ocasionaram um saldo mais negativo da balança comercial de lácteos para o mês de julho, apresentando o resultado mais negativo do ano, até o momento, e o menor valor desde fevereiro de 2021.

Este cenário se formou devido alguns fatores, tais como: os recuos apresentados nos preços internacionais, a baixa disponibilidade de leite no Brasil e os elevados preços dos derivados lácteos no mercado interno.

Em meio a um cenário geopolítico conturbado, as tensões internacionais vêm emplacando quedas nos preços internacionais. A situação da covid-19 na China ainda não foi resolvida, e novos lockdowns vem ocorrendo, diminuindo a demanda de um dos principais players no mercado internacional. Além da demanda chinesa, temos conflitos em diferentes regiões do globo, como por exemplo, a guerra entre Rússia e Ucrânia, e as divergências entre China e Estados Unidos, impulsionadas por razões diplomáticas envolvendo a ilha de Taiwan.

Um outro ponto que vem atuando para consolidar o cenário baixista dos preços é o risco de recessão econômica mundial, com grandes potências, como Estados Unidos, e Europa apresentando entraves em suas economias, elevando os temores de uma possível recessão.

Em meio a essas tensões internacionais, os preços do leilão Global Dairy Trade passaram por mais uma variação negativa no último evento realizado. Os preços médios do leite em pó integral atingiram o menor valor desde fevereiro de 2021.

Esses fatos associados a baixa disponibilidade de leite no mercado interno, que impactaram nos preços, nos últimos meses, trouxeram um ganho de competitividade para os produtos internacionais, o que refletiu em um maior volume de importações. 

Desta forma, mesmo em meio ao dólar ainda operando em patamares elevados, o mês de julho se mostrou favorável as negociações de importação e manteve a janela de exportações fechada.

Em relação aos produtos mais importantes da pauta importadora em julho, temos o leite em pó integral, os queijos, o leite em pó desnatado e o soro de leite, que juntos representaram 93% do volume total importado.

O leite em pó integral teve uma elevação de 22% em seu volume importado. Além do leite em pó integral, os produtos que tiveram maiores variações com relação à importação foram o leite em pó desnatado e os queijos, com aumentos de 68% e 21%, respectivamente.

Os produtos que tiveram maior participação no volume total exportado foram o leite condensado, o leite UHT, o creme de leite e os queijos, que juntos, representaram 83% da pauta exportadora. Os queijos apresentaram um recuo de 15% em seu volume exportado.

A tabela 1 mostra as principais movimentações do comércio internacional de lácteos no mês de julho deste ano.

Tabela 1. Balança comercial láctea em julho de 2022.

balança comercial de lácteos
Fonte: Elaborado pelo MilkPoint Mercado com base em dados COMEXSTAT.

O que podemos esperar para o próximo mês?

Conforme relatado, no artigo “Tensões internacionais seguem derrubando preços dos lácteos no GDT” o cenário para os preços internacionais dos derivados lácteos segue baixista, frente aos entraves geopolíticos do mundo, como a persistência da política de tolerância zero contra a covid-19 na China, riscos de recessão econômica mundial e tensões envolvendo China, Estados Unidos e Taiwan.

Nesta semana, a cidade de Sanya, na China, voltou a decretar lockdown, impedindo a locomoção de sua população e turistas.Hainan, uma província chinesa, também seguiu nesta linha, e intensificou a restrição de locomoção de sua população.Este cenário traz incertezas de quando a China irá retornar as atividades comuns, e pode impactar negativamente em seu PIB, que já registrou variações negativas no último levantamento.

Quanto ao risco de recessão econômica mundial, novos dados trouxeram positividade para o mercado, como por exemplo o desemprego nos Estados Unidos, que apresentou melhora em seu último levantamento. Porém, o risco ainda é iminente, e novos fatores podem impulsionar a sua ocorrência, como por exemplo as divergências entre Estados Unidos, China, e Taiwan, que vem trocando farpas após a visita de uma funcionária do alto escalão norte-americano a ilha de Taiwan. caso o conflito se intensifique, o mercado como um todo poderá ser afetado.

Todos estes fatores impactaram negativamente nos preços dos produtos internacionais, contribuindo para estimular as importações.

Fortalecendo o estímulo às importações tem-se os preços dos derivados lácteos no mercado interno, que apesar dos recentes recuos, nas últimas semanas, ainda está em patamares elevados, devido ao cenário de baixa disponibilidade de leite no mercado, o que também desestimula as exportações, visto que pode ficar mais viável comercializar os produtos no mercado interno em detrimento de negociar no mercado internacional.

Esse cenário vem se alterando nas últimas semanas, com os preços dos derivados lácteos passando por sucessivas quedas, frente a demanda em baixa devido aos preços elevados que os derivados atingiram.

Nesse cenário, pelo menos em curto prazo espera-se que as importações sigam ganhando força no próximo mês, frente a queda dos preços internacionais e os patamares atuais de preços no mercado interno (que ainda seguem altos).

Porém, devido a base comparativa maior, as variações poderão ser menos expressivas. Para as exportações o cenário ainda é desfavorável.  

Caso os preços dos derivados lácteos no mercado interno recuem significativamente nas próximas semanas, as importações podem se tornar menos competitivas, e esse cenário poderá se alterar nos meses finais do ano.

Fonte: MilkPoint

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com