Bem-estar animal pode aumentar a produtividade no campo

Bem-estar animal pode aumentar a produtividade no campo

PARTILHAR
Fonte:Pexels

Segundo entidades de defesa animal, a conduta é bem avaliada pelos consumidores e deve ser adotada em todas as etapas do processo produtivo

O bem-estar animal é preocupação constante no setor agropecuário e consumidores exigem cada vez mais condutas humanitárias. Durante um evento realizado em São Paulo, a importância do conceito para o futuro das competições equestres no país foi discutido para o aumento da produtividade no campo.

A ciência do bem-estar animal foi criada na década de 1960 e o principal objetivo é ajudar o animal a reproduzir o comportamento natural da espécie para a melhora da qualidade de vida. “No caso dos cavalos , é preciso respeitar a integridade e as características dos animais nas dimensões físicas e também comportamentais”, comentou Cláudia Sophia Leschonski, membro da comissão técnica de bem-estar animal do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (SP).

De maneira prática, na pecuária, o bem-estar animal ajuda a aumentar a produtividade e evitar lesões em bovinos, que podem causar danos às carcaças. Para o assessor do gabinete de Defesa Agropecuária de São Paulo, a conduta é bem avaliada pelos consumidores e deve ser adotada em todas as etapas do processo produtivo.

“A qualidade do produto começa no nascimento do animal e vai até o seu encaminhamento para o abate, passando por todas as fases de criação, transporte e mesmo dentro dos estabelecimentos de abate. Hoje, o grande mercado consumidor é exigente e quer saber de onde vem o alimento e como ele foi criado”, disse José Eduardo Alve de Lima, Assessor de Defesa Agropecuária de São Paulo.

Para a integrante da comissão técnica de bem-estar animal, a tendência é que as práticas sejam adotadas por toda a cadeia produtiva.”O que a gente tem visto nas últimas décadas é que a sensibilidade das pessoas em relação aos animais tem mudado e têm sido visto cada vez mais os animais como criaturas conscientes e com o direito de terem uma vida de boa qualidade. Até a permanência do hipismo nas Olimpíada está ameaçada. Isso é como um dominó e o esporte de elite traz toda a base atrás de si”, comentou Cláudia.

No Brasil, o órgão responsável por estimular condutas humanitárias na pecuária é a Coordenadoria de Boas Práticas e Bem-estar animal, vinculada ao Ministério da Agricultura. A entidade é responsável por fiscalizar e incentivar o trabalho em todos os ciclos da cadeia produtiva.

“Um exemplo é o programa Mais Leite Saudável, que tem favorecido mais de 30 mil produtores rurais e desenvolvendo boas práticas para o bem-estar animal. Outro exemplo é o programa que vem sendo desenvolvido junto à Embrapa para suínos e aves, e existe ainda o projeto na área de bem-estar de aves para estimular a criação de aves poedeiras fora de gaiolas”, finalizou a auditora fiscal do Ministério da Agricultura, Juliana de Amaral.

Artigo: O que ganhamos com o Bem Estar Animal?

Fonte: Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com