Bezerro a R$ 2472,50, até onde vai a alta no preço?

Bezerro a R$ 2472,50, até onde vai a alta no preço?

PARTILHAR
bezerro nelore da marca peixe
Foto: Fazenda Bálsamo / Marca Peixe

Abate de novilhas deve estimular preço em alta até 2022; De acordo com a Agrifatto Consultoria, a busca acelerada da China por animais mais jovens também estimula o cenário positivo.

A fase de alta no preço do bezerro deverá seguir até o início de 2022, puxada pelo crescente abate de novilhas no Brasil, de acordo com a Agrifatto Consultoria.

“Essa firmeza do bezerro também está ligado abate acelerado de novilhas. E vem consumando o que estamos observando nos últimos anos, que são os programas de qualidade, busca acelerada da China por animais mais jovens. Tudo isso estimula o abate de animais novos, e isso pode ser uma tendência que irá durar até o início de 2022”, disse Lygia Pientel, diretora da Agrifatto.

A baixa disponibilidade de bezerros e bezerras, devido ao abate excessivo de fêmeas nos anos anteriores, continua provocando lacunas de oferta de animais jovens, emplacando forte trajetória de alta nos preços dos animais de reposição, informa a consultoria IHS Markit.

O mercado de reposição, mais precisamente os bezerros, tem observado os preços se elevando a cada mês. A pressão por conta da maior demanda, que se sustenta nas valorizações do boi gordo no mercado, tem feito com que essa escassez de animais jovens ganhassem, então, um novo patamar de preços. É o ciclo da pecuária se firmando mais uma vez e mostrando que existe sim!

Para o curto prazo, a tendência é de que a procura por reposição permaneça em bom ritmo, apoiada na firmeza do mercado do boi gordo, que tende a seguir positivo nos próximos dias, foi o que informou a Scot Consultoria em seu levantamento.

O mercado tem encontrado preços acima de R$ 2000 por cabeça em todas as principais praças produtoras do país. A procura foi intensa nas últimas semanas, garantindo a elevação nos preços. Quando avaliado a média parcial até o momento, segundo os negócios informados no Aplicativo da Agrobrazil, observamos uma maior valorização na praça de São Paulo, com os preços batendo R$ 2472,50 para animais desmamados de 180 a 220 kg de peso vivo.

Para as praças do Centro-Oeste, os preços estão se igualando entre os estados. O destaque fica para a região de Mato Grosso, onde a procura se acentuou nas últimas semanas, já que o preço do boi gordo teve grande correção com arroba chegando a R$ 214/@.

Confira na tabela abaixo a média para as praças analisadas pela Agrobrazil, com exclusividade para o Compre Rural:

O mercado de reposição continua aquecido e o preço do bezerro renovou o recorde em São Paulo pela segunda vez nesta semana, chegando a R$ 2.171,47 nesta quarta-feira, 19, de acordo com o indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). No ano, a cotação do bezerro acumula alta de 41,6%.

O mercado do boi magro, também encontrou um viés de alta e segue uma trajetória de valorização no mercado. Os preços tiveram, até o momento, um recuo nos preços apenas em São Paulo, segundo informou a Agrobrazil em seu levantamento parcial. Veja na tabela abaixo que o mercado segue se valorizando cerca de R$ 2 a R$ 5 por arroba a cada mês.

Neste contexto, mesmo com a firmeza nas cotações do boi gordo registrada ao longo das últimas semanas, os pecuaristas de recria e engorda ainda enfrentam dificuldades para fazer a recomposição dos plantéis, se posicionando comedidos nos negócios, observa a IHS Markit.

Além disso, os preços da ração operam em níveis firmes, guiados principalmente pela desvalorização cambial e os patamares mais altos dos grãos, o que também encarece a atividade de engorda.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.