Boi gordo dispara no Centro-Oeste e chega a R$ 160/@

Boi gordo dispara no Centro-Oeste e chega a R$ 160/@

PARTILHAR
Confinamento: Boitel VFL do Brasil
Foto: Boitel VFL do Brasil

As maiores altas foram observadas nas praças do Mato Grosso do Sul e de Goiás, onde muitos frigoríficos elevaram suas indicações de compras para preencher escalas de abate

Nesta quarta-feira, o mercado físico do boi gordo registrou alta de preços em quase todas as regiões pecuárias do país, relata a Informa Economics FNP. O destaque, contudo, ficou com as praças do Centro-Oeste, onde há forte presença de frigoríficos de São Paulo disputando boiada com compradores locais e elevando os preços pagos aos pecuaristas nas principais praças da região.

As maiores altas foram observadas nas praças do Mato Grosso do Sul e de Goiás, onde muitos frigoríficos elevaram suas indicações de compras para preencher escalas de abate ao menos até meados da próxima semana, de acordo com informações da FNP.

Em Campo Grande, MS, o boi gordo subiu para R$ 160/@ (pagamento a prazo) nesta quarta-feira, com alta de R$ 3/@ sobre o preço do dia anterior, apurou a FNP.

Em Três Lagoas, MS, a arroba teve acréscimo de R$ 2, para R$ 159/@, a prazo. Em Goiânia, GO, atingiu R$ 150/@, com elevação de R$ 2/@. Em Cuiabá/MT, o boi foi negociado a R$ 148/@, à vista, ante R$ 147/@ do dia anterior.

Essa onda de valorizações nos preços do boi gordo está essencialmente atrelada à oferta restrita de animais prontos para abate, aliada ao forte ritmo das exportações brasileiras de carne bovina.

Segundo a FNP, os prêmios oferecidos para o gado com destino às vendas externas chegam a variar entre R$ 3/@ a R$ 5/@, dependendo em qual protocolo se encaixa melhor os lotes ofertados.

Na região Norte do Brasil, informa a consultoria, também há forte valorização na boiada gorda diante da dificuldade de compor as escalas entre as plantas frigoríficas locais.

No Pará, o preço praticado nas regiões de Redenção e Marabá já supera Paragominas por reflexo da habilitação de plantas frigoríficas para exportar carne bovina para a China, segundo a FNP. 

Com informações do portal DBO.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com