Boi gordo não desanda em fevereiro, como será março?

Boi gordo não desanda em fevereiro, como será março?

PARTILHAR
Foto: Henrique Bighetti/Canal Rural

Confira por que, na reta final do mês, o indicador Cepea/B3 esteve por volta dos R$ 200 a arroba. Afinal, o mercado externo influência mais que o mercado interno?

Os preços do boi gordo se mantiveram firmes ao longo de fevereiro, sustentados pela baixa oferta de animais para abate. No final do mês, o Indicador do boi gordo Cepea/B3 esteve por volta dos R$ 200,00.

Na média parcial de fevereiro (de 1º a 27), o Indicador foi de R$ 196,78, sendo 1,93% superior ao de janeiro. Na comparação com fevereiro de 2019, a alta é de quase 23% em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-DI).

A boa notícia é que, na opinião de analistas de mercado, o início de março pode aumentar o apetite comprador das indústrias e torná-las mais dispostas a ajustar positivamente seus preços ofertados para o boi gordo.

Outra novidade em fevereiro veio do exterior: Os EUA decidiram reabrir o seu mercado de carne bovina in natura ao Brasil, depois de um embargo imposto desde junho de 2017. “Essa decisão endossa a qualidade do produto brasileiro e pode trazer maior demanda para a carne nacional entre os diversos países globalmente”, avaliam os analistas da Informa Economics FNP, de São Paulo.

Porém, ainda relação ao mercado externo, a preocupação atual gira em torno da China, que se mantém praticamente fora do mercado mundial de importação de carne bovina devido sobretudo ao surto do novo coronavírus no país.  

Na avaliação dos analistas do Rabobank, embora os chineses continuem postergando as suas compras internacionais de proteína animal, uma hora o país irá fazê-lo – provavelmente a partir do segundo semestre do ano.

Isso porque, em algum momento, o gigante asiático necessitará de todas as maneiras dos fornecedores de carnes, para cobrir o rombo na oferta interna ocasionado pela epidemia da peste suína africana, que dizimou o seu rebanho de porcos.

Segundo a Scot Consultoria

A oferta de boiadas limitada e a expectativa de melhora da demanda na primeira metade de março deve manter o mercado do boi com os preços sustentados.

Carne no varejo paulista 

O preço da carne bovina negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo seguiu caminho parecido ao do boi gordo, de acordo com o Cepea. A carcaça casada registrou média de R$ 13,77/kg (à vista, valor também deflacionado) na parcial deste mês, com altas de 2,7% em relação ao valor de janeiro e de 24% frente à cotação de fevereiro do ano passado.

Diante disso, a diferença entre os preços da arroba bovina e da carne se cresceu, para R$ 9,77/@, com vantagem para a carcaça casada negociada no atacado.

Fonte: Portal DBO e Scot Consultoria

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com