Boi gordo segue com viés de baixa e preços recuam

PARTILHAR
@rimaagropecuaria

Sucessão de suspensões impostas pelo país asiático, escalas de abate alongadas e mercado interno patinando, impulsiona o viés de baixa nos preços do boi gordo!

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais baixos nesta terça-feira, 24, cenário que vem se arrastando ao longo desta semana pelas praças pecuárias do país. As indústrias continuam a mudar suas estratégias de compras, além da mudança do mercado com o embargo pela gigante asiática, com isso os preços da arroba seguem pressionados.

A sucessão de embargos impostos pela China – que embargou mais quatro unidades nesta semana – vai resultando em mudanças no comportamento da indústria. Os frigoríficos exportadores seguem encontrando dificuldades logísticas em função desse ambiente, além da falta de contêineres para embarque. Além disso, a oferta de animais terminados segue avançando.

“Os frigoríficos que operam apenas no mercado doméstico não encontram dificuldades na composição de suas escalas de abate, que hoje atendem mais de sete dias úteis. O mercado tende a apresentar reação no início da entressafra, período do ano em que haverá maior dependência da oferta de confinados para a composição das escalas de abate”, disse Iglesias, da Agência Safras.

A boa oferta de boiadas sustenta a pressão de baixa nas praças pecuárias paulistas. As recentes quedas de temperatura intensificaram a saída do gado de pasto. O estrago causado pelas geadas no ano passada está vivo na memória dos produtores.

No comparativo feito dia a dia, a cotação caiu R$2,00/@ em todas as categorias de bovinos destinados ao abate. Assim, a referência do boi gordo está em R$304,00/@, da vaca gorda em R$272,00/@ e da novilha gorda em R$300,00/@, preços brutos e a prazo, apontou a Scot Consultoria em seu relatório diário.

Para bovinos cujo destino é a exportação os negócios estão em R$310,00/@. Segundo o app da Agrobrazil, o pecuarista de Osvaldo Cruz, informou negociação no valor de R$ 310,00/@ com o pagamento no prazo de 30 dias e o abate programado para o dia 06 de junho.

Segundo o Indicador do Boi Gordo CEPEA/B3, o fechamento de ontem trouxe uma variação diária de 2,93%. Desta forma, os preços pularam de R$ 305,20/@ para o valor de R$ 314,15/@. Ainda segundo a instituição, os valores negociados em dólar, encerram mais uma semana cotados a US$ 65,16/@. Confira o gráfico abaixo!

“Desta vez, ainda sem prestar maiores esclarecimentos sobre as razões reais da suspensão, a China bloqueou a importação de uma unidade de abate localizada em Promissão (SP)”, afirmam os analistas da IHS Markit, referindo-se ao abatedouro pertencente à Marfrig.

Segundo a consultoria, a nova decisão chinesa repercutiu de forma negativa em todo mercado pecuário, intensificando os movimentos de baixa da arroba do boi gordo e demais categorias terminada.

Aumento de custo reduz intenção de confinamento em MT

O custo do confinamento em 2022 está 38% maior do que o registrado em 2021 e passou de R$ 12,59 por cabeça por dia (cab/dia) para R$ 17,42 cab/dia.

O reflexo disso está na queda acentuada nas intenções de confinar, que reduziu 19% no comparativo de abril/22 com o mesmo mês do ano passado e 36,7% em comparação com o consolidado no ano passado. Os dados são do 1º levantamento do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Em números, em abril deste ano, os pecuaristas apontaram que pretendem confinar 529,9 mil animais. Em abril de 21, este valor estava estimado em 661,4 mil. Mas, no final do ano, o balanço foi de 837,7 mil animais terminados no cocho em Mato Grosso.

Para o diretor técnico operacional do Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac), Bruno de Jesus Andrade, ano passado, as projeções de preço para o boi gordo apontavam um cenário lucrativo aos confinadores, algo que não acontece neste momento.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Em São Paulo, capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 311.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 281.
  • Em Cuiabá (MT), a arroba do boi ficou indicada em R$ 282.
  • Já em Uberaba (MG), preços a R$ 280 por arroba.
  • Em Goiânia (GO), a indicação foi de R$ 275 para a arroba do boi gordo.

Atacado

No mercado atacadista, os preços da carne de boi ficaram estáveis. Segundo Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere por alguma queda das cotações no curto prazo, em linha com a lenta reposição entre atacado e varejo no decorrer da segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo.

“Somado a isso precisa ser mencionada a preferência de importante parcela da população por proteínas mais acessíveis, a exemplo do frango e dos ovos”, disse Iglesias.

O quarto traseiro do boi foi precificado a R$ 23 por quilo. O quarto dianteiro foi cotado a R$ 16 por quilo. A ponta de agulha foi precificada a R$ 15,70 por quilo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com