Brasil embarca 329 mil cabeças de gado vivo, vídeo!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Apesar de ser um grande mercado para a pecuária nacional, a decadência das exportações de boi em pé deverá se agravar em 2021, confira os dados!

As exportações de boi em pé estão despencando ano a ano, desde 2019, e em 2021 seguem praticamente zeradas até maio. As previsões são mais baixas ainda sobre os resultados do ano anterior. Confira abaixo as informações sobre este mercado e veja, também, o vídeo que mostra o maior embarque já feito em um porto brasileiro!

O segmento, que chegou a incomodar os frigoríficos em determinadas regiões até 2018 – afinal, os dois competiam pelos mesmos animais -, sente a inação dos compradores. Muito se foi discutido na época, entre frigoríficos e entidades da pecuária em relação ao impacto que esse mercado traria na oferta de gado para abate.

Os mercados principais de animais vivo, onde o grosso dos bovinos chega para engorda e abate, são destinos turísticos prejudicados pela pandemia e alguns estão em crise econômica há anos.

Sem maior consumo de viajantes e uma grave conjuntura econômica, caso da Turquia, maior importador – cuja moeda, a lira, derreteu -, em 2020 a receita total caiu para US$ 217,1 milhões, em valor FOB (Free on Board; custos do cliente).

Correspondeu a 329 mil cabeças, de acordo com dados trabalhados pela Aliança Paraense da Carne (APC), com base em dados do governo. O Pará é o principal exportador. Em 2019 as exportações chegaram a US$ 457 milhões e, no ano anterior, ao recorde de US$ 621 milhões. Quase o dobro em boiada.

Todos os outros oito países importadores de animais para abate, atrás da Turquia, são árabes – com exceção da Hungria, na 9ª posição -, também sentiram a pressão dos preços do petróleo sobre suas economias.

Os turcos, que importaram 104,9 mil cabeças de gado em 2020, gerando US$ 63 milhões de receita, substituíram a Venezuela, que até o agravamento da crise desde o início do governo Maduro era o principal destino de bois e vacas brasileiros.

O boi mais caro no Brasil é outro fator adicionado no afrouxamento da demanda externa por gado vivo. A China enxugando o mercado, diante de um rebanho mais acanhado, fez o segmento ficar menos competitivo, segundo, igualmente, a Abreav, outra entidade setorial.

Nas exportações totais, frisa-se, ainda há um volume a se considerar de animais para reprodução e búfalos.

Exportações de animais vivos tem no Pará o principal portão, mas em franca decadência em 2021

A exportação do gado vivo é uma exigência dos países do Oriente Médio. Desde 2010, mais de 550 mil animais foram embarcados no porto de Rio Grande. Já o maior embarque de gado já realizado no porto de Rio Grande, aconteceu em setembro de 2020, foram em torno de 25 mil animais que tiveram como destino a Turquia e o Líbano. Anteriormente, o recorde havia sido 20 mil cabeças que foram encaminhadas, em março deste ano, para a Jordânia.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é img_10513_foto_1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 8850337_x240.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é whatsapp-image-2020-09-11-at-11.02.16-1.jpeg

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com