Carne de búfalo se posiciona como nova opção

Carne de búfalo se posiciona como nova opção

PARTILHAR

Uma vida produtiva mais longa (até 25 anos) e uma maior participação no mercado local motivam o crescimento constante do número do rebanho bubalino.

A produção de carne de búfalo está consolidada no Paraguai. A proteína vermelha gerada por esse tipo de animal vem ganhando cada vez mais participação nas gôndolas das lojas, tornando-se mais uma opção para o paladar dos paraguaios.

Uma vida produtiva mais longa (até 25 anos) e uma maior participação no mercado local motivam o crescimento constante do número do rebanho bubalino no território nacional.

O pecuarista Guido Occhipinti, em entrevista ao Infonegocios, referiu-se à produção de búfalos no Paraguai e comentou que ela começou com 15.000 cabeças, hoje aumentando para 20.000.

A Associação Paraguaia de Criadores de Búfalos (Apacribu) registra um total de 150 produtores de búfalos em todo o país, a maioria deles distribuídos em Ñeembucú, Paraguarí, San Pedro e Bajo Chaco.

Marketing e subprodutos

A carne de búfalo é oferecida nos supermercados em diferentes tipos de cortes premium como tapa, alcatra, alcatra, lombo, entre outros. Além disso, os produtores estão começando a se aventurar na produção de derivados dessa espécie, fazendo linguiças, hambúrgueres, leite e queijo de búfala, disse Occhipinti.

De acordo com pesquisa realizada pela Universidade da Costa Rica, o consumo de carne de búfalo é mais benéfico do que a carne bovina. Os resultados da pesquisa confirmam que a carne de búfalo é mais nutritiva do que a carne bovina, pois contém uma quantidade maior de minerais, como ferro, e um percentual menor de gordura e calorias.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com